Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.003,27
    -650,50 (-1,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Internet gratuita obriga estudantes a assistir publicidade de Bolsonaro

·2 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro gestures during the Marechal Rondon Communications Award ceremony at the Planalto Palace in Brasilia, on September 14, 2021. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Alunos, educadores e moradores têm que assistir a uma peça publicitária 30 segundos sobre programas sociais de Bolsonaro para acessar a rede (Getty Image)
  • A cada acesso na rede os usuários precisam ver novamente o vídeo sobre ações de Bolsonaro 

  • Segundo governo, ao menos 26 milhões de brasileiros acessam a rede do Conecta Brasil

  • Ministro disse que a internet era uma forma de oferecer alternativa às ‘notícias contra o presidente’

Já pensou ter que assistir uma propaganda do governo Bolsonaro toda vez que precisar utilizar a internet para realizar uma atividade Essa é a realidade dos estudantes das escolas públicas rurais de Santa Filomena, no interior do Piauí.

Leia também:

Para utilizar a rede estatal, alunos, professores e moradores são obrigados a assistir um vídeo publicitário de 30 segundos que enaltece as ações governamentais. Apenas depois da propaganda que o acesso à rede é liberado.

Ainda tem mais um agravante: a permissão não é vitalícia. A cada vez que o usuário fizer uma pesquisa no navegador ou abrir um aplicativo, como o Caixa Tem, precisará assistir novamente ao vídeo. Se em uma aula o estudante realizar 6 buscas na internet, ao menos 3 minutos serão perdidos assistindo o conteúdo de Bolsonaro.

Impactados pela internet do governo

O Ministério das Comunicações estima que ao menos 26 milhões de brasileiros acessam a internet pela banda larga do programa Conecta Brasil.

A obra publicitária é uma imposição aos beneficiários do Wi-fi Brasil, projeto criado pelo Conecta Brasil, um conjunto de iniciativas do governo para promover a inclusão digital.

Em um evento o Ministro das Comunicações afirmou que a internet pública era uma forma de oferecer uma fonte alternativa de informações às ‘notícias contra o presidente’.

Então tem como chamar a internet pública de "gratuita"?

Segundo o dicionário Michaelis, a palavra "gratuita" significa: "que dispensa pagamento" e que é algo "desinteressado, benevolente, se esperar algo em troca". Ou seja, a internet pode ser pública, mas não entra na classificação de gratuita, pois utiliza o modelo publicitário como contrapartida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos