Mercado fechará em 4 mins

Internet Archive cria empréstimo digital de livros importantes da Wikipédia

Wagner Wakka

O Internet Archive quer tornar a Wikipédia uma plataforma ainda mais confiável para pesquisa. Para isso, quer dar aos usuários acesso às obras que são citadas como fontes dentro da plataforma. 

Atualmente, grande parte da confiabilidade dos verbetes apresentados na Wikipédia se dá por conta da apresentação das fontes. Quando se tem uma explicação, se ela for realmente válida, deve conter um link ou uma citação para um vídeo, texto, áudio ou livro que justifica aquela afirmação. 

O problema é que nem toda fonte é digitalizada. Ou seja, se a página da Wikipédia cita um livro físico, por mais possível que seja comprá-lo em papel ou encontrá-lo em bibliotecas, o usuário não consegue confirmar a informação exposta, a não ser que se comprometa com uma boa dose de esforço. 

A ideia do Internet Archive, site que busca guardar a memória da rede, é de digitalizar todas as obras que são citadas na Wikipédia, permitindo que os usuários possam conferir as informações apontadas como fonte na plataforma. 

A organização começou um novo movimento para escanear os livros e permitir acesso a uma prévia de pelo menos três páginas do trabalho citado. 

A proposta foi apresentada no blog do Internet Archive como uma parceria entre os dois sites. O objetivo final é permitir que usuários possam emprestar versões digitais de cada livro por uma ou duas semanas, como em uma biblioteca. No fim, o Internet Archive quer ter um arquivo de todos os livros já publicados no mundo. 

“O que está escrito em livros por vários séculos é essencial para informar as gerações de estudantes digitais. Nós esperando conectar leitores com livros trazendo os livros de papel para a web, começando pela Wikipédia”, explica Brewster Kahle, bibliotecário digital do Internet Archive. 

O sistema funciona com base no Controlled Digital Lending (ou controle de empréstimo digital, em tradução livre). Trata-se de um método que permite a legalização do empréstimo de livros, tendo o controle de cópias compradas por uma instituição. Isto é, se uma biblioteca conta com 10 cópias, o sistema consegue garantir que somente 10 pessoas possam “emprestar” uma versão digital por vez. 

Quando usuário clica na referência, página com prévia abre para leitura (Foto: Internet Archive)

Embora o sistema seja promissor e considere que há uma compra para empréstimo como acontece em bibliotecas, o CDL (como é chamado) ainda não é um método regularizado, sendo que ainda precisa ser regulamentado por lei. 

Contudo, esta não é uma tarefa tão simples assim. Segundo o blog da organização, digitalizar um livro custa perto de US$ 20 (aproximadamente R$ 80), somado ao preço de manter isso disponível. “O objetivo é trazer outros 4 milhões de livros importantes online nos próximos anos”, aponta a empresa. 

Para isso, a companhia está abrindo espaço para que pessoas possam patrocinar o projeto ou mesmo fazer doações para a instituição.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: