Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.130,39
    -1.687,46 (-2,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Intercolegial faz os últimos ajustes para iniciar disputa

·2 minuto de leitura

Após mais de um ano de espera devido à pandemia de Covid-19, faltam agora poucos dias para as quadras do Intercolegial serem ocupadas novamente por atletas e treinadores. O handebol, modalidade que abre esta edição, será disputado entre os dias 2 e 3 de outubro.

Porém, antes do início, haverá o congresso de abertura, marcado para quarta-feira (22). No encontro, professores e técnicos podem tirar suas dúvidas sobre o regulamento e as mudanças propostas para este ano, incluindo os protocolos sanitários contra o coronavírus. As escolas também entregarão as fichas de inscrição geral.

Cada uma das seis modalidade terá ainda o seu próprio congresso técnico, entretanto, em dias diferentes.

— Ainda estamos vivendo a pandemia e tentando retomar gradativamente a rotina e a convivência de treinamento com nossos alunos, o que não foi possível em 2020. Estamos muito felizes de voltar a competir no Intercolegial, que é uma competição que a gente abraça e que mexe com a nossa comunidade escolar — diz a treinadora de handebol Daniela Guimarães, da Escola Municipal Juan Antonio Samaranch.

Hoje professora, ela também já viveu a experiência da competição como aluna e lembra a importância da possibilidade de transformação através do esporte:

— Eu sou fruto do Intercolegial, jogando vôlei e handebol. Hoje, estou como treinadora e posso falar com propriedade do quanto essa competição é importante, ao proporcionar novos caminhos para as nossas crianças — afirma.

O Intercolegial vem de uma sequência de dois tricampeonatos. As últimas três edições do torneio tiveram o Santa Mônica Centro Educacional como campeão geral e que agora briga pelo tetra. Antes, o Samaranch venceu consecutivamente entre 2014 e 2016, com a participação da técnica Daniela. Curiosamente, o colégio só disputa o sub-15, o que torna o feito ainda mais difícil, a ponto de marcar o criador da competição escolar.

— Pela primeira vez na história do Inter, uma escola municipal era campeã. Essa vitória mostrou ainda o acerto do projeto da Prefeitura, de transformar alguns colégios em centros esportivos. Hoje, eles estão entre os dez melhores do torneio, e temos outras escolas municipais, como Dr. Sócrates e Félix Venerando — diz Roberto Garofalo, diretor geral do Intercolegial.

Após o handebol, a próxima modalidade a ser disputada será o basquete 3x3, no dia 16 de outubro. Na sequência, o xadrez, no dia 23. O vôlei de quadra abre o mês de novembro, com jogos entre 6 e 7. O skate será disputado em 20 de novembro, e o vôlei de praia encerra a competição nos dias 4 e 5 de dezembro.

Será considerado o campeão geral do 39º Intercolegial, um evento realizado pelo jornal O GLOBO em parceria com o Sesc RJ, a escola que obtiver o maior número de pontos na soma de todas as modalidades e no Intersolidário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos