Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.780,30
    +2,90 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    33.830,88
    +1.338,51 (+4,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    804,23
    +9,90 (+1,25%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.468,24
    +158,48 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    28.953,84
    +69,71 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.282,50
    +24,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9152
    -0,0046 (-0,08%)
     

Intercement Brasil fará IPO para controlador vender fatia no negócio

·1 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A Intercement Brasil pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO), operação que servirá para que seu controlador, a holding Mover, venda uma fatia no negócio.

A companhia é um braço do Grupo InterCement, que também tem operações em países como Argentina, Egito, Moçambique e África com Sul, com capacidade produtiva de 37 milhões de toneladas de cimento por ano.

No Brasil, a Intercement é a segunda maior produtora de cimento do país, com capacidade instalada de 17,2 milhões de toneladas, distribuídas entre suas 15 unidades. Em 2020, vendeu cerca de 8,7 milhões de toneladas, incluindo as marcas Cauê, Goiás e Zebu. A subsidiária brasileira também tem 19 fábricas de concreto e 11 pedreiras de calcário.

A Intercement ainda tem fatias minoritárias em três hidrelétricas (Tocantins, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), que produzem 74% da energia usada em suas fábricas.

No ano passado, a empresa teve receita líquida de 2,4 bilhões de reais, aumento de 26,9% em relação a 2019, com a margem Ebitda subindo de 13,9% para 28,6%.

A operação será coordenada por Bradesco BBI, Bank of America, Itaú BBA, JPMorgan E UBS-BB.

O anúncio acontece um dia depois de a rival CSN Cimentos, da siderúrgica CSN, ter também pedido registro para IPO.

O pedido de registro para IPO também acontece em meio a uma escalada dos preços mundiais de commodities, apoiada na expectativa de que a demanda hoje já forte da China por esses produtos deve ser ampliada nos próximos meses e anos por outros grandes mercados, como o dos Estados Unidos.

Também na véspera, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), do grupo Votorantim SA, pediu registro para IPO.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos