Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,36
    -0,10 (-0,16%)
     
  • OURO

    1.764,90
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    63.149,18
    +161,15 (+0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.397,85
    +16,90 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.793,14
    -107,69 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    29.642,69
    +21,70 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    14.014,75
    +0,75 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7226
    +0,0015 (+0,02%)
     

Intenção de Consumo das Famílias cresce 0,6% em março

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

A Intenção de Consumo das Famílias, medida pela Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC), teve uma alta de 0,6% na passagem de fevereiro para março deste ano. Com isso, o indicador passou para 73,8 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos.

Apesar do resultado, este é o pior mês de março desde o início da série histórica, em 2010. Na comparação com março do ano passado, por exemplo, houve uma queda de 26,1%, o 12º recuo neste tipo de comparação.

O índice está abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde maio de 2015, de acordo com a CNC.

Ouça na Radioagência Nacional

Ouça essa e outras matérias na Radioagência Nacional

Na comparação com fevereiro, cinco dos sete componentes do indicador tiveram alta, com destaque para o momento para a compra de bens duráveis (1,8%). Dois componentes tiveram queda: acesso ao crédito (-0,5%) e nível de consumo atual (-0,6%).

Na comparação com março de 2020, os sete componentes recuaram, com destaque para momento para bens duráveis (-40,2%) e perspectiva de consumo (-32,1%).