Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.581,46
    +557,60 (+1,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Intelbras abre escritório em pólo tecnológico da China para ampliar parcerias

·1 minuto de leitura

A brasileira Intelbras abriu nesta semana um novo escritório na China, mais especificamente na cidade de Shenzhen, que fica na província de Guangdong. Ele deverá ser parte da cadeia de suprimentos da fabricante de eletrônicos.

A intenção da empresa com a novidade é gerar oportunidades de negócio e parcerias com grupos asiáticos, além de ampliar sua pesquisa e desenvolvimento de soluções. Shenzhen é conhecida por ser um dos principais pólos de tecnologia da China. Haverá no local dois laboratórios focados em elétrica e mecânica.

Em fevereiro, a Intelbras concluiu sua oferta pública de ações na B3, a Bolsa brasileira. Com isso, conseguiu movimentar R$ 1,3 bilhão, de acordo com documentos enviados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Escritório da Intelbras em Shenzhen (Imagem: Divulgação/Intelbras)
Escritório da Intelbras em Shenzhen (Imagem: Divulgação/Intelbras)

A China, no entanto, não é um território inédito para a brasileira, que produz acessórios de segurança residencial e telefonia, como câmeras, sensores, alarmes, interfones e outros itens. Fundada em 1976 no município de São José (SC), a Intelbras está presente na Ásia desde o ano 2000 e mantém sede própria na China há 15 anos. Em 2019, a chinesa Dahua, focada em segurança eletrônica, comprou 10% da Intelbras.

“O escritório desempenha papel estratégico, representando a Intelbras junto a seus parceiros asiáticos, apoiando resoluções de tratativas comerciais e proporcionando maior velocidade na busca de inovações e fornecedores”, afirma Ado Rafael Feijó, diretor de suprimentos da Intelbras.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos