Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -18,90 (-1,03%)
     
  • BTC-USD

    41.474,30
    +100,50 (+0,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Intel teria fechado acordo histórico com TSMC para produção de chips em 3 nm

·3 minuto de leitura

Em meio à escassez de semicondutores e uma batalha para reconquistar a participação de mercado perdida para a AMD, a Intel vem trabalhando em uma série de medidas para se reestabelecer e recuperar os inúmeros atrasos sofridos pela litografia de 7 nm da empresa.

Além de um novo CEO, Pat Gelsinger, que ficou conhecido por projetar o processador 80486 e liderar o desenvolvimento de diversos outros chips das linhas Core e Xeon, a gigante de Santa Clara irá apostar em uma nova arquitetura híbrida com a família Alder Lake de 12ª geração, e adotar um novo modelo de negócios ao abrir as fábricas para atender a outras companhias.

Uma das medidas mais impactantes, no entanto, é a parceria com a TSMC, principal concorrente que atende a gigantes como Apple, AMD e Qualcomm. A novidade foi anunciada originalmente no final de março e, até então, envolvia apenas a terceirização de alguns modelos de CPUs com uso do processo de 7 nm. Esse acordo pode ter ganho ainda mais profundidade nesta semana, como indica a agência de notícias NIKKEI Asia.

Intel fecha acordo histórico com a TSMC

Segundo as informações, junto à Apple, a Intel é uma das primeiras companhias a reservar produção do processo de 3 nm da TSMC. Ao menos dois projetos estariam sendo desenvolvidos para a litografia, com foco em recuperar o espaço perdido para AMD e Nvidia nos segmentos de notebooks e servidores.

Um ponto curioso citado pelas fontes é que o volume de produção solicitado pela Intel até o momento é maior que o reservado pela Apple para o iPad. A fabricação em massa dos novos processadores estaria prevista para começar apenas no final de 2022, ponto reforçado pelo cronograma da própria TSMC.

A Intel irá focar a produção de 3 nm em chips para notebooks e servidores, segmentos em que a empresa perdeu espaço para AMD e Nvidia (Imagem: Divulgação/Intel)
A Intel irá focar a produção de 3 nm em chips para notebooks e servidores, segmentos em que a empresa perdeu espaço para AMD e Nvidia (Imagem: Divulgação/Intel)

Essa é a primeira vez na história que a Intel terceiriza a produção de chips, o que reflete os esforços da fabricante em recuperar a relevância. A parceria inédita, no entanto, é temporária e já tem prazo para acabar — o CEO Pat Gelsinger afirmou se tratar de uma medida paliativa para que a empresa possa colocar as próprias tecnologias em ordem novamente.

Questionada pela NIKKEI Asia a respeito dos relatos, a Intel confirmou que está trabalhando com a TSMC para a linha de processadores prevista para 2023, mas não revelou detalhes acerca dos processos usados. Também perguntada, a fundição taiwanesa afirmou não comentar planos de clientes individuais.

A guerra das litografias

Como lembra a agência de notícias, a litografia e os nanômetros (nm) referem-se à distância que há entre transistores em um processador. Quanto menor o número, mais avançado o chip em questão é, mas também mais caro e mais difícil é de se fabricar. No momento, o processo mais robusto a estar disponível ao público é o N5 da TSMC, de 5 nm, presente nos processadores A14 Bionic e M1 da Apple.

Apesar de importante, a litografia é apenas um dos fatores a se considerar na hora de avaliar o desempenho de um chip (Imagem: Divulgação/Intel)
Apesar de importante, a litografia é apenas um dos fatores a se considerar na hora de avaliar o desempenho de um chip (Imagem: Divulgação/Intel)

É importante lembrar que a litografia é apenas um dos parâmetros a se considerar ao avaliar o desempenho de um chip, já que há outros fatores envolvidos, como a densidade de transistores.

Prova disso surge de comparativos entre as litografias da Samsung, Intel e da própria TSMC — os 7 nm da TSMC são equivalentes aos 10 nm da Intel, e aos 5 nm da Samsung, utilizados no Snapdragon 888 e Exynos 2100.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos