Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.735,46
    -1.137,96 (-3,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Intel prevê que falta de chips vai durar vários anos

·1 minuto de leitura

TAIPÉ (Reuters) - O presidente da Intel afirmou nesta segunda-feira que pode levar vários anos para que o quadro de escassez de semicondutores no mundo seja resolvido, um problema que tem atingido a indústria automototiva e está sendo sentido por outros setores.

Pat Gelsinger afirmou durante evento online que o isolamento social gerou um "crescimento explosivo na demanda por semicondutores" que criou uma grande pressão sobre as cadeias de fornecimento de chips.

"Apesar da indústria ter tomado medidas para resolver os problemas no curto prazo, ainda pode levar vários anos para que o ecossistema resolva a escassez de capacidade de produção."

Gelsinger afirmou em entrevista ao Washington Post em meados de abril que o quadro de falta e oferta de chips poderia levar "alguns anos" para ser resolvido.

A Intel anunciou em março um plano de 20 bilhões de dólares para ampliar sua capacidade de produção de chips avançados e que prevê a construção de duas fábricas no Estado norte-americano de Arizona.

"Planejamos expandir para outros locais nos EUA e Europa para assegurar uma cadeia de abastecimento segura para o mundo", afirmou o executivo nesta segunda-feira sem dar detalhes.

(Por Ben Blanchard)