Mercado abrirá em 6 h 57 min

Intel fará "limpa" em seu servidor de drivers na sexta-feira (22)

Rafael Rodrigues da Silva

A partir desta sexta-feira (22), a Intel fará uma “limpa” no seu site oficial, removendo todos os arquivos de drivers e BIOS mais antigas dele. Todos esses drivers são de componentes e placas lançados pela empresa durante a década de 90 e a metade dos anos 2000, para sistemas operacionais que já não recebem mais atualização, como Windows 98, ME, XP e as primeiras edições do Windows Server.

Os maiores afetados pela remoção serão placas mãe, placas de rede e placas de vídeo que já não são fabricados pela Intel há mais de uma década, e cujos drivers ainda existiam no site da empresa apenas para casos de quem precisa formatar o PC.

E, claro, a decisão não foi bem recebida por todos, e as pessoas que ainda são obrigadas a trabalhar com hardware mais antigo vieram às redes sociais mostrar o seu descontentamento. Isso porque essas pessoas ainda usavam o site da Intel para conseguir os drivers para esses equipamentos, e a partir de sexta (22) qualquer problema que aconteça a essas máquinas será muito mais difícil (talvez até impossível) de ser reparado, pois os drivers ficarão sujeitos a disponibilidade em sites terceirizados (lembrando que, mesmo quando existem nesses sites, há sempre uma chance de virem acompanhados de vírus e malwares).

Esse sentimento é resumido em um tweet do usuário @Foone, que em setembro deste ano, quando as primeiras mensagens sobre a remoção dos drivers do site da Intel começaram a aparecer, tuitou bem nervoso que as empresas fabricantes de software precisam aprender que elas devem manter o acesso aos drivers em seus servidores até o sol explodir, ou até a companhia falir, principalmente porque esses arquivos possuem um tamanho irrelevante — e a remoção deles não trará nenhuma economia de espaço significativa nos servidores da empresa.


Apesar de controversa, a decisão da Intel não é exatamente uma novidade no mercado de informática, e em 2017 a HP também fez uma “limpa” parecida em seus servidores. As empresas fazem isso porque, apesar dos usuários acharem que elas têm a obrigação de manter o acesso a drivers de seus dispositivos pela eternidade, não há nenhum mecanismo — seja no contrato de compra ou mesmo na lei — que obrigue-as a manter o suporte por tempo ilimitado, mesmo dos produtos que não são mais fabricados e nem recebem novas atualizações de software e firmware.

Já os usuários acreditam que esse tipo de decisão é uma forma sutil de obsolescência programada, ou seja: uma maneira de a empresa obrigar as pessoas a comprarem novos produtos, ao invés de continuar usando aqueles que satisfazem suas necessidades.

Mesmo assim, essa não é a abordagem usada por todas as empresas, e companhias como a Dell e a Lenovo são conhecidas por disponibilizar o acesso para drivers de seus equipamentos mais antigos. A Lenovo até possui uma seção especial de seu site dedicada para aqueles que precisam fazer o download de drivers de produtos que não são mais fabricados pela empresa.

Por enquanto, a única saída é, antes do dia 22 de novembro, entrar no site da Intel, baixar todos os drivers relativos às placas que você usa e então deixar esses arquivos guardados em algum lugar (seja em um servidor na nuvem ou em um HD externo), para serem usados quando for necessário.

Caso você esteja lendo essa matéria após o dia 22 de novembro, ainda estarão funcionando alguns mirrors FTP da própria Intel onde esses arquivos podem ser baixados, e os usuários que irão sofrer com essa decisão também estão criando mirrors próprios. Então procurar nos fóruns especializados no assunto pode ser uma boa saída, caso o FTP da Intel também tenha sido desligado.

Agora, uma coisa que não recomendamos é baixar esses drivers em sites terceirizados, porque a remoção desses arquivos do site da Intel é a oportunidade perfeita para que cibercriminosos incluam vírus e malware aos drivers — o que colocará o seu computador em risco, ao invés de consertá-lo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: