Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,10 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.802,10
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    34.429,55
    +489,48 (+1,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    -6,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1217
    +0,0015 (+0,02%)
     

Intel começa a testar carros autônomos em Nova Iorque

·2 minuto de leitura

A Mobileye, divisão de carros autônomos da Intel, anunciou nesta semana que está realizando testes de direção 100% automatizada na cidade de Nova Iorque, considerada pela empresa como um dos ambientes mais complicados para este tipo de veículo no mundo. A ideia é provar que a tecnologia de direção autônoma da fabricante é boa o suficiente para encarar o trânsito caótico da Big Apple, com carros, pedestres e ciclistas a todo momento.

De acordo com a Intel, a Mobileye recebeu autorização da prefeitura de Nova Iorque para realizar os testes depois de já ter avaliado o funcionamento de suas tecnologias de direção autônoma em outros locais, como São Francisco, na Califórnia. Segundo a empresa, apenas um carro está circulando pela metrópole para aferir o funcionamento de suas câmeras, pois são nelas que a maior parte dos recursos estará disponível.

Todo o sistema de direção autônoma desenvolvido pela Mobileye será alimentado pelo processador EyeQ4, um dos chips de visão computacional mais avançados do mundo para veículos desse tipo. Essa família de procressadores pode executar algoritmos de visão computacional complexos e computacionalmente intensivos usando energia mínima, o que chamou a atenção dos fabricantes de automóveis.

De acordo com a Mobileye, o processador pode suportar um conjunto completo de recursos de segurança, como o piloto automático adaptativo, alerta de colisão frontal e sistema de frenagem automática de emergência com base em um único sensor de câmera. O componente também pode lidar com dados de vários sensores de veículos necessários para direção semiautônoma, como o alerta de saída de faixa e esterçamento automático.

Comprada em 2017 pela Intel por US$ 15,3 bilhões, a Mobileye tem como objetivo ser o maior player de direção autônoma no mundo. Mas, para isso, tem a enorme concorrência de gigantes como a Ford, General Motors, Google e, quem sabe, da Apple, que ainda não deu muitos detalhes sobre o Project Titan, ou Apple Car. Segundo a direção da empresa, os testes com carros autônomos devem ser expandidos até o final do ano na capital financeira dos EUA.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos