Mercado abrirá em 9 h 19 min
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,90
    -0,23 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.778,40
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    57.043,01
    -2.861,53 (-4,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.297,88
    -93,83 (-6,74%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    29.259,75
    +290,04 (+1,00%)
     
  • NIKKEI

    29.748,10
    +64,73 (+0,22%)
     
  • NASDAQ

    14.045,50
    +16,00 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6712
    -0,0149 (-0,22%)
     

Instituto Butantan entrega 600 mil doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde neste domingo

Aline Ribeiro
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO. O Instituto Butantan entrega ao Ministério da Saúde, neste domingo, dia 28, um lote de 600 mil doses da vacina CoronaVac, vacina feita em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Segundo o instituto, a entrega está prevista para até 16h. Com esse lote, o total de 3,753 milhões de doses terão sido entregues ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) desde terça-feira, dia 23.

Na terça-feira, dia 23, foram entregues 1,2 milhão de doses da vacina CoronaVac para o governo federal. Na quarta-feira, 24, outros 900 mil frascos foram liberados. Os dias 25, 26 e 28 de tiveram doses diárias de 600 mil. No total, serão 5,6 milhões de doses no período de 5 de fevereiro a 5 de março, 65% a mais do volume previsto inicialmente.

Na semana passada, o Ministério da Saúde assinou contrato com o Instituto Butantan para o fornecimento de 54 milhões de doses da vacina Coronavac. O montante se soma às 46 milhões já adquiridas, totalizando 100 milhões de doses da CoronaVac a serem entregues até setembro.

O Instituto já entregou o que corresponde a 90% de todas as vacinas usadas na rede pública do país. Para acelerar a produção, o instituto dobrou seu quadro de funcionários.