Mercado abrirá em 4 h 56 min
  • BOVESPA

    120.705,91
    +995,88 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.829,31
    +80,90 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,87
    +0,05 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.833,60
    +9,60 (+0,53%)
     
  • BTC-USD

    50.202,96
    -600,23 (-1,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.380,13
    -7,78 (-0,56%)
     
  • S&P500

    4.112,50
    +49,46 (+1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.021,45
    +433,79 (+1,29%)
     
  • FTSE

    7.003,06
    +39,73 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    28.018,66
    +299,99 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.180,25
    +80,00 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4254
    +0,0129 (+0,20%)
     

Instituições financeiras terão de oferecer agendamento de pagamentos via Pix a partir de setembro

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA (Reuters) - As instituições participantes do Pix terão que oferecer obrigatoriamente a possibilidade de agendamento de pagamentos não vinculados a QR Code por meio do sistema de pagamento instantâneo a partir de 1º de setembro, segundo nova regra divulgada nesta quinta-feira pelo Banco Central. 

  No momento, essa funcionalidade é facultativa. 

Leia também:

  O BC também adiou —de 14 de maio para 1º de julho— a oferta obrigatória do agendamento de pagamentos pelo Pix via QR Code. Foi estabelecido agora um período de transição, de 14 de maio a 30 de junho, em que as instituições que não estiverem aptas a já oferecer o pagamento em data futura já ficam obrigadas a, no mínimo, possibilitar o pagamento do QR Code, na data da leitura do código, com os devidos cálculos de eventuais descontos ou multas. 

  Os agendamentos que passarão a ser obrigatórios a partir de setembro são aqueles feitos a pessoas físicas ou empresas pelo Pix iniciados com a chave ou a inserção manual dos dados. 

  A diretoria do BC também determinou que, a partir de 30 de abril, aqueles que receberem pagamentos do auxílio emergencial do governo poderão movimentar os recursos por meio do Pix. 

  (Por Isabel Versiani)