Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,51 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,10 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,52
    -0,63 (-0,87%)
     
  • OURO

    1.824,30
    -37,10 (-1,99%)
     
  • BTC-USD

    38.762,88
    -1.200,81 (-3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    963,12
    -29,35 (-2,96%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,63 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.420,55
    -16,29 (-0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.891,67
    -399,34 (-1,36%)
     
  • NASDAQ

    13.906,00
    -75,25 (-0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0766
    +0,0146 (+0,24%)
     

Instagram vai mudar algoritmo após acusação de censura a conteúdo pró-Palestina

·3 minuto de leitura

O Instagram começou a fazer ajustes em seu algoritmo após um grupo de funcionários ter alegado que o conteúdo favorável à Palestina não estava sendo visível para os usuários durante os conflitos na Faixa de Gaza. Segundo a rede social, isto teria ocorrido porque o algoritmo dá mais ênfase a conteúdos originais nos stories do que os repostados, mas que considerará peso igual a ambos os lados.

O comunicado foi enviado ao site The Verge no último domingo (30), após relatos de que a moderação automatizada do Instagram havia bloqueado e removido conteúdos com viés políticos. Os funcionários acreditam que a redução do alcance e a remoção desses materiais não foi proposital, mas que esse tipo de prática poderia “marginalizar” minorias ou gerar versões distorcidas dos fatos ao mostrar apenas um lado.

(Imagem: Reprodução/Instagram)
(Imagem: Reprodução/Instagram)

Segundo o The Verge, um porta-voz do Facebook, empresa dona do Instagram, teria dito que a falha se encontra na forma como o algoritmo lida com os conteúdos favoritos dos usuários, mostrando eles em detrimento de outros potencialmente “menos interessantes”. Isso teria levado as pessoas a crer que havia uma censura em determinados pontos de vista, o que não seria o caso, de acordo com a rede social. “Isso se aplica a qualquer postagem compartilhada novamente nos stories, independentemente do assunto”, explicou.

Para o Instagram, seus usuários estão mais interessados em conteúdos originais de amigos próximos do que ver posts e fotos de outras pessoas que não conhecem. “Mas houve um aumento — não apenas agora, mas também no passado — de quantas pessoas estão compartilhando postagens, e vimos um impacto maior do que o esperado no alcance delas. Stories que compartilham postagens de feed não têm obtido o alcance que as pessoas esperam, e isso não é uma boa experiência”, disse o porta-voz.

Apesar disso, não ficou claro se a alteração será pontual (apenas no caso do conflito) ou se passará a afetar todos os posts. Isso porque o Instagram sempre apregoou a necessidade de que o conteúdo original se sobreponha a compartilhamentos ou replicações. Caso o alcance dos posts compartilhados for aumentado, isso poderia leva a uma queda na produção de conteúdo específico para os stories.

Algoritmo que toma partido?

Twitter, Facebook e Instagram têm sido alvos de críticas sobre a entrega dos conteúdos relacionados ao algoritmo das plataformas. O Instagram já teve um problema similar antes, após ter impedido seis contas de postar conteúdo pró-Palestina, o que teria ocorrido devido a um “bug técnico”:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

No início do mês, a rede do passarinho penalizou a conta de um escritor palestino, mas depois voltou atrás e disse ter ocorrido um erro. A rede também se viu no centro das discussões após uma acusação de que seu sistema era racista, já que, ao cortar uma foto, daria preferência a manter as pessoas brancas no centro do quadro — suspeita essa que foi confirmada por um estudo recente.

Um algoritmo tende a replicar os gostos e hábitos da maioria, o que pode ser um problema para quem está “de fora” dela. Ao privilegiar um dos lados, fica a impressão de que a rede social adota posicionamentos e isso é terrível no ambiente sociopolítico, além de ter impactos negativos sobre a experiência na plataforma.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos