Mercado fechará em 15 mins
  • BOVESPA

    115.987,12
    -147,34 (-0,13%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.051,60
    +621,85 (+1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,16
    +2,53 (+3,03%)
     
  • OURO

    1.733,80
    +31,80 (+1,87%)
     
  • BTC-USD

    20.106,43
    +571,57 (+2,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,35
    +10,91 (+2,45%)
     
  • S&P500

    3.780,42
    +101,99 (+2,77%)
     
  • DOW JONES

    30.240,29
    +749,40 (+2,54%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.607,00
    +321,25 (+2,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1648
    +0,0909 (+1,79%)
     

Instagram terá regras mais rígidas para menores de 16 anos

O Instagram atualizou os recursos voltados para menores de 16 anos para aplicar medidas mais restritivas no uso do aplicativo. A troca deve afetar tanto os novos cadastros quando os adolescentes que já frequentam a rede social. Uma novidade chamada "verificação de configurações" também deve ser implementada para orientar os jovens a atualizar as políticas de segurança e privacidade.

O reforço de hoje é praticamente uma atualização da ferramenta chamada Controle de Conteúdo Sensível, lançada em 2021, para dar mais controle sobre posts e vídeos visualizados. Na época, o Instagram começou a permitir que o usuário controle o que pode ser exibido na pesquisa, na guia momentos, quais contas podem ser seguidas, nas páginas de hashtags e recomendações do feed.

Novas contas de adolescentes são terão a opção de ver pouco conteúdo sensível (Imagem: Reprodução/Instagram)
Novas contas de adolescentes são terão a opção de ver pouco conteúdo sensível (Imagem: Reprodução/Instagram)

Até então, só era possível definir regras em três níveis: mais, menos ou padrão. Essas regras eram aplicadas apenas aos temas considerados conteúdos sensíveis, como violência gráfica, conteúdo sexual e uso de drogas (como álcool e tabaco). Os novos usuários menores de 16 anos poderiam definir a categoria "menos" ou "padrão", mas agora só terão a opção mais restritiva liberada.

Quem já está no Instagram receberá uma notificação com a recomendação de mudar o controle para "menos". Não existe obrigação para os atuais usuários, portanto essa medida pode ser um tanto quanto questionável.

Análise das configurações

Já a "verificação de configurações" deve fazer algo similar ao que foi mencionado acima, porém voltado para as configurações de segurança e privacidade. Todos os adolescentes com menos de 18 anos serão convidados a fazer os ajustes considerado adequados para sua idade pelo algoritmo do Instagram.

O check-up de segurança vai analisar as configurações para deixar os menores de 18 anos mais protegidos (Imagem: Reprodução/Instagram)
O check-up de segurança vai analisar as configurações para deixar os menores de 18 anos mais protegidos (Imagem: Reprodução/Instagram)

Devem ser afetadas ferramentas como compartilhamento do seu conteúdo, envio de mensagens diretas, acesso a fotos e vídeos e o tempo gasto na rede social. O aviso deve fazer uma espécie de check-up da maneira como a conta do adolescente está configurada para sugerir a melhor maneira.

O reforço na proteção será estendido a todos os usuários globais, independentemente da versão do Instagram utilizada — Android, iOS ou web. As mudanças serão liberadas gradualmente, portanto algumas pessoas podem receber antes das outras.

Instagram pressionado por mais cuidados com adolescentes

Essa troca por ser fruto da pressão que a Meta sofre nos últimos anos acerca de supostas falhas na proteção de crianças e adolescentes. Mesmo com sucessivas ferramentas, vários grupos de pais e responsáveis criticam a empresa por não agir corretamente para impedir efeitos nocivos sobre os filhos.

O chefe do Instagram, Adam Mosseri, foi ao Congresso dos Estados Unidos, no final do ano passado, para esclarecer tais questões. Na ocasião, ele se comprometeu perante aos senadores a implementar um conjunto de medidas de segurança para os menores de 18 anos e para mais controle dos pais.

Em junho, a rede começou a conduzir experimentos para identificar a idade do usuário e assim evitar acesso a conteúdos indevidos. A rede social testa três sistemas diferentes: selfies em vídeo, fornecimento de documento de identificação e garantia de outros usuários adultos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: