Mercado fechará em 5 h 26 min
  • BOVESPA

    109.499,97
    +385,81 (+0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.112,41
    +303,85 (+0,68%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,88
    +2,17 (+2,83%)
     
  • OURO

    1.643,80
    +10,40 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    20.171,52
    +939,38 (+4,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    460,95
    +1,82 (+0,40%)
     
  • S&P500

    3.690,38
    +35,34 (+0,97%)
     
  • DOW JONES

    29.489,41
    +228,60 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.015,59
    -5,36 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.457,75
    +141,50 (+1,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1476
    -0,0318 (-0,61%)
     

Instagram remove conta oficial do PornHub

O Instagram removeu a conta oficial do PornHub da rede social neste final de semana. O perfil, que já acumulava mais de 13 milhões de seguidores e 6,2 publicações, teria violado as Diretrizes da Comunidade da plataforma, conforme destacam capturas de tela divulgadas no Twitter.

Ativistas contra pornografia comemoraram a decisão: “O Instagram fez a decisão certa ao cortar seus laços com o PornHub. A Meta agora se junta a Visa, Mastercard, Discover, PayPal, Grant Thornton, Heiz, Unilever, Roku e várias outras companhias que se recusam a fazer negócios com o PornHub, um problemático site que monetiza o abuso sexual de inúmeras vítimas, incluindo crianças”, disse a fundadora do movimento TraffickingHub, Laila Mickelwait.

Não está claro o que fez a Meta banir a conta do PornHub do Instagram — se foi um post específico, o comportamento da conta ou, de fato, a origem do perfil. É possível que a medida tenha sido tomada com base somente na moderação de conteúdo da rede social, porém também pode ser uma forma de a empresa exercer pressão sobre a plataforma de pornografia.

Empresas contra o PornHub

Há anos, o PornHub enfrenta críticas severas de parceiros comerciais acerca do conteúdo que circula no site. A polêmica existe há bastante tempo, mas foi só em 2020 que culminou na suspensão de pagamentos por parte da Visa e da Mastercard, medida que colocou o site nos holofotes e atraiu boicotes semelhantes.

O PornHub é criticado por facilitar a distribuição de pornografia infantil, algo que impacta significativamente na integridade das marcas associadas. A relação entre a empresa e as bandeiras de cartões foi parar na justiça, e as instituições financeiras foram acusadas de colaborar com a monetização de material ilegal nos sites da MindGeek, detentora da plataforma.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: