Mercado abrirá em 9 h 6 min
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,66
    -0,41 (-0,57%)
     
  • OURO

    1.806,60
    +4,80 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    38.174,77
    +3.943,89 (+11,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    911,92
    +118,18 (+14,89%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    26.578,17
    -743,81 (-2,72%)
     
  • NIKKEI

    27.902,87
    +354,87 (+1,29%)
     
  • NASDAQ

    15.084,00
    -14,00 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1233
    +0,0017 (+0,03%)
     

Instagram não é mais um app para compartilhar fotos, diz chefe da rede social

·2 minuto de leitura

Assim que surgiu, o Instagram era uma mídia social voltada exclusivamente para postar fotos do cotidiano, como um imenso book de imagens otimizadas com filtros. Com o aumento da base de usuários, empresas começaram a enxergar a plataforma como uma oportunidade de negócios — e isso levou a uma mudança considerável no enfoque do app.

Hoje (1), o chefão do Instagram, Adam Mosseri, afirmou que sua plataforma não é mais um aplicativo de compartilhamento de fotos. Para ele, a rede é cada vez mais um centro de entretenimento de vídeos, reflexo da onda de sucesso dos concorrentes TikTok e YouTube.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Mosseri ressalta que as mais relevantes adições foram voltadas para otimizar a experiência em vídeo. Basta lembrar das melhorias nos Stories, na introdução do IGTV e no recente lançamento do Reels. O chefe da plataforma revelou que o próprio algoritmo tem sido calibrado para tornar os vídeos mais envolventes, o que tem se refletido no consumo de conteúdo por parte dos usuários.

Uma das novidades futuras, antecipadas por Mosseri em vídeo (olha aí mais um reforço do que ele disse), seria a seleção de tópicos temáticos para ajudar no refinamento algorítmico dentro do feed. Isso é algo que existe na maioria das plataformas de vídeos curtos, mas que nunca foi testado no Instagram. Com base nas marcações, o sistema consegue entregar conteúdos mais alinhados com o gosto do usuário.

Será que o usuário está pronto?

Essa informação é valiosíssima para quem atua profissionalmente no Instagram, pois revela uma tendência de substituição gradual dos feeds estáticos pelas imagens com som e movimento. A era do compartilhamento de fotos quadradas, como classificou o executivo, está ficando para trás.

Não é exatamente uma novidade, mas reforça uma tendência já notada por quem lida diariamente com o Instagram. Ainda é cedo para projetar a plataforma como um novo TikTok, principalmente porque seria frustrante uma mudança brusca dá noite para o dia, mas já faz algum tempo que a rede social voltou sua atenção para outros formatos multimidia além das meras fotografias.

Reels é claramente o ingresso definitivo do Instagram no universo dos vídeos curtos (Imagem: Divulgação/Instagram)
Reels é claramente o ingresso definitivo do Instagram no universo dos vídeos curtos (Imagem: Divulgação/Instagram)

É recado forte vindo de quem veio, por isso é bom ficar atento para começar a repensar suas estratégias, caso o Instagram seja uma fonte de renda importante. Pelo visto, o influenciador digital do futuro será aquele capaz de dominar o público não só com conteúdo de qualidade, mas com desenvoltura em frente à camera de vídeo e muita vontade de aparecer.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos