Mercado fechará em 1 h 39 min
  • BOVESPA

    112.021,92
    +2.303,98 (+2,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.603,12
    +142,57 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    92,57
    -1,77 (-1,88%)
     
  • OURO

    1.815,50
    +8,30 (+0,46%)
     
  • BTC-USD

    24.006,96
    -185,29 (-0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,65
    -0,63 (-0,11%)
     
  • S&P500

    4.257,85
    +50,58 (+1,20%)
     
  • DOW JONES

    33.627,17
    +290,50 (+0,87%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.507,25
    +196,00 (+1,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2053
    -0,1184 (-2,22%)
     

Instagram lança serviço de assinatura para criadores

O Instagram lançou nesta quinta-feira (14) o aguardado recurso de assinatura que oferece exclusividade no acesso a fotos e vídeos de criadores de conteúdo. O chefe da rede, Adam Mosseri, fez o anúncio oficial em seu perfil no qual ressalta a chegada da novidade após o feedback dos criadores participantes da fase inicial dos testes.

O recurso vai permitir a produção de posts visíveis apenas para assinantes, como ocorre no Onlyfans e no Twitter. Até então, só era possível esconder conteúdos de pessoas pelos Stories, mas estes não davam a opção de lucrar em cima do formato. Com a mudança, posts tradicionais do feed e Reels poderão ser dedicados apenas a quem estiver disposto a pagar.

Haverá uma nova guia específica nos perfis dos criadores com os conteúdos exclusivos dos assinantes. Essa área será liberada somente para quem pagar o preço da assinatura, o que garantirá a visualização de fotos e vídeos adicionais. Embora o recurso lembre o site adulto mencionado, os conteúdos ainda devem seguir as diretrizes da comunidade, portanto não espere compartilhar nudez, drogas ou violência sem receber punição.

O valor de cada assinatura será definido pelo criador e poderá variar entre US$ 0,99 e US$ 99,00 (cerca de R$ 5,40 a R$ 540 na conversão direta). Como o recurso ainda não chegou oficialmente ao Brasil, não dá para saber quais serão os valores praticados por aqui.

Vantagens de assinar

Os assinantes ganharão um selo roxo ao lado do nome para indicar apoio a um influenciador. Esse distintivo ajudará a identificá-lo nos comentários e em lives, assim o criador poderá dar uma atenção diferenciada aos seus patrocinadores.

Outra vantagem é a possibilidade de abrir chats em grupo com até 30 assinantes simultaneamente. As conversas ocorrem na caixa de entrada do Insta e funcionarão como as tradicionais mensagens trocadas por Direct. Isso permitirá maior aproximação dos criadores e seus financiadores, além de dar um toque de exclusividade para quem paga.

O selo roxinho mostra que a live é apenas para assinantes e ajuda a destacar os patrocinadores nos posts (Imagem: Reprodução/Instagram)
O selo roxinho mostra que a live é apenas para assinantes e ajuda a destacar os patrocinadores nos posts (Imagem: Reprodução/Instagram)

Se antes o recurso era bastante restrito a criadores parceiros, agora Mosseri promete aumentar gradualmente para dezenas de milhares de pessoas nos Estados Unidos. É provável que a novidade se consolide primeiro na Terra do Tio Sam antes de ser expandida para o restante do mundo.

“Este é apenas um passo em um caminho muito mais longo para fornecer aos criadores de todos os lugares toda uma gama de ferramentas para ganhar a vida online”, explicou o líder da rede social. Não está claro quando as demais regiões serão contempladas, mas a expectativa para o Brasil são positivas, afinal trata-se de um dos principais mercados da Meta.

Instagram na luta pela atenção

Com cada vez mais foco em vídeos, o que justificaria os testes com visual em tela cheia, o aplicativo do Instagram corre atrás para se manter relevante diante da ameaça do rival TikTok. O serviço de assinatura pode ser um grande atrativo, pois geraria uma renda extra para o criador sem incidência de descontos até 2023, conforme a promessa da Meta.

Por outro lado, obriga a criação de conteúdo exclusiva na plataforma, algo que o Insta perdeu em partes e agora luta para manter. Muitos criadores reaproveitam o conteúdo do TikTok no Kwai, no Twitter e no Instagram — a rede garante que vídeos e fotos exclusivas performam melhor do que os copiados.

Resta saber se o modelo vai cair nas graças dos criadores e, principalmente, do público. Até o momento, os modelos de assinatura implementados por outros serviços como Twitter, Telegram e Snapchat ainda não decolaram como o esperado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos