Mercado abrirá em 4 h 35 min
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,61
    +0,41 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.769,00
    +5,30 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    16.878,54
    +387,32 (+2,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,97
    +12,25 (+3,15%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.478,04
    +273,36 (+1,50%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.544,50
    +19,75 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4671
    +0,0105 (+0,19%)
     

Instagram começa a liberar compra e venda de NFTs no aplicativo

O Instagram iniciou a implementação de um mercado para compra e venda de tokens não fungíveis (NFTs) direto na plataforma. Segundo a rede social, será implementada uma ferramenta extra, interligada à blockchain Polygon, que permitirá comercializar os ativos vinculados à carteira digital.

A integração foi feita diretamente com a OpenSea, um dos maiores mercados de NFTs do mundo. Todas as coleções e informações dispostas no site serão puxadas automaticamente para a rede social da Meta.

A dona do Instagram também está expandindo os tipos de colecionáveis ​​digitais que os usuários podem exibir na rede, incluindo vídeos. Até então, somente imagens estáticas eram suportadas, o que abrangia apenas um pedaço do gigantesco mercado de artes digitais.

O chefe de comércio e fintech da Meta Stephane Kasriel garantiu que não serão cobradas taxas pela empresa para compra e venda de colecionáveis digitais até 2024 — até a "taxa de gás" será paga pela própria empresa. Mas as transações feitas pelo aplicativo ainda podem estar sujeitas à famigerada taxação aplicada pela Google Play Store e App Store, com percentuais que podem chegar a 30% do faturamento.

Quando chega o mercado de NFTs do Instagram?

Os valores devem ser cobrados em dólares, mas não está claro como funcionaria a conversão, já que a maioria dos proprietários de NFTs usam criptomoedas para fazer a compra e venda dos ativos. Se houver a necessidade de passar a transação pela loja do sistema operacional (Android ou iOS), provavelmente seria necessário usar uma forma de pagamento compatível, como cartão de crédito ou saldo em conta.

Por enquanto, a novidade foi liberada para um pequeno grupo de criadores do nicho de cripto nos Estados Unidos. Se os testes correrem conforme o planejado, novos países devem ser contemplados na sequência, com o acréscimo da carteira Phantom, da Solana.

Desde agosto, usuários do Instagram em mais de 100 países já podem exibir seus NFTs nos perfis — inclusive com publicação simultânea no Insta e no Face. A ideia é permitir a criação de galerias para mostrar os ativos e até usá-los, de modo autenticado, como foto de perfil.

Passado o período de testes, usuários do Facebook também devem ser incluídos no suporte ao mercado. A Meta pretende adicionar suporte a NFTs de outras redes, como Ethereum e Flow, além de mais carteiras digitais — Rainbow, MetaMask, Trust Wallet, Coinbase Wallet e Dapper Wallet.

O suporte aos NFTs é um braço fundamental da estratégia da Meta para o seu Metaverso. Os tokens devem ser empregados como roupas e acessórios para avatares ou como prédios e terrenos, como forma de garantir a propriedade sobre os bens digitais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: