Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.947,73
    +591,29 (+1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

INSS: desempregados podem contribuir para se aposentarem

·1 min de leitura
Caso o valor considerado como base for o salário mínimo, os beneficiários deverão pagar R$ 220 ao INSS. Foto: Getty Images.
Caso o valor considerado como base for o salário mínimo, os beneficiários deverão pagar R$ 220 ao INSS. Foto: Getty Images.
  • A possibilidade consta no código 1045 da Previdência Social;

  • Dessa forma, o colaborador poderá contribuir com valores entre 5% e 20% do salário mínimo;

  • Para manter a contagem para a aposentadoria, o contribuinte poderá pagar 5%, ou seja, R$ 55.

Os desempregados que desejarem contabilizar suas aposentadorias poderão contribuir com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para manter o cálculo. Desse modo, o beneficiário possuirá direito a benefícios previdenciários.

A contribuição como segurado facultativo existe através de medida prescrita pelo código 1045. Portanto, o desempregado que almeje contribuir poderá pagar 20% do salário fornecido. Dessa forma, se o valor considerado como base for o salário mínimo, ou seja, R$ 1.100, os beneficiários deverão pagar R$ 220 à autarquia.

Leia também:

Os contribuintes que pagarem à Previdência Social a cada seis meses garantirão, portanto, o direito de solicitar aposentadoria pelo INSS.

De acordo com as regras da Reforma da Previdência, o colaborador deverá levar em conta o tempo de contribuição de, no mínimo, 15 anos.

Desse modo, o contribuinte terá a possibilidade e o direito de solicitar a pensão por morte, auxílio-doença, salário-maternidade e aposentadoria por invalidez.

Se o colaborador tiver baixa renda e seja inscrito no Cadastro Único (CadÚnico), a contribuição poderá ser menor. O contribuinte será capaz de pagar 5% do salário mínimo ou uma taxa mensal de R$ 55. Contudo, nesses casos, o desempregado só poderá se aposentar pela idade.

As informações são do Portal iG.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos