Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,20 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,62 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,84
    +2,27 (+2,07%)
     
  • OURO

    1.821,40
    -3,40 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    20.295,48
    -600,62 (-2,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    441,05
    -9,01 (-2,00%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,27 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    11.680,50
    -360,00 (-2,99%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5405
    -0,0036 (-0,06%)
     

Infraestrutura como código: qual a sua importância na segurança de uma empresa?

Um termo que começou a emergir nos últimos tempos no mundo da segurança cibernética é a chamada “infraestrutura como código” ou, do inglês, Infrastructure as a Code (IaC). Mas o que significa IaC e qual a importância disto para os líderes e tomadores de decisão de segurança das empresas?

Para começar, gerenciar a infraestrutura de TI não é um processo simples. No modo tradicional, que era praxe até pouco tempo, as empresas necessariamente tinham que investir grandes somas todos os anos na construção e manutenção de data centers robustos e na contratação de equipes de engenheiros e outros funcionários para provisionar manualmente a infraestrutura.

Com a necessidade de otimizar esse processo e reduzir custos, criou-se a computação em nuvem, proporcionando às empresas uma nova abordagem que oferecia flexibilidade e escalabilidade. Seguindo esta lógica, a denominada infraestrutura como código emergiu como uma abordagem estratégica para as equipes de desenvolvimento que buscam gerenciar e manter sua infraestrutura sem o incômodo do provisionamento manual de antes. A prática, além de codificar, também gerencia a infraestrutura de TI subjacente.

Atualmente, de acordo com um recente estudo da Forrester, 69% das organizações brasileiras transferiram funções essenciais para os negócios para a nuvem e 82% moveram funções não essenciais para os negócios, adoção impulsionada pelo cenário dos últimos anos, com a migração massiva para o trabalho remoto em todo o mundo.

A computação em nuvem ainda é um pilar essencial para a transformação digital globalmente. Porém, apesar da infinidade de benefícios para empresas e usuários, a nuvem também abre porta para sérios riscos à segurança cibernética.

Somente em 2021, mais de 40 bilhões de dados confidenciais foram expostos, como resultado de violações de dados baseadas em nuvem. Além disso, as configurações incorretas de infraestrutura, causadas por erro humano, podem fornecer caminhos para os cibercriminosos iniciarem ataques. Para coibir esses ataques, é necessária uma solução que permita aos desenvolvedores gerenciar sua infraestrutura por meio da automação, o que minimiza potenciais novos riscos de segurança. É aqui que entra a infraestrutura como código.

A IaC envolve o uso de ferramentas de software para automatizar tarefas específicas por meio de um sistema de controle de versão. Isso significa que sua infraestrutura pode ser escrita e descrita em código, e este código pode ser executado para fazer alterações na infraestrutura.

Ao adotar uma abordagem IaC as organizações podem acelerar a inovação e construir produtos que atendam eficientemente às necessidades de seus clientes em tempo hábil e ideal. Mas há ainda um ponto de atenção: a velocidade com que as equipes de desenvolvimento lançam novos produtos e recursos supera a segurança. E é fundamental que o ritmo de segurança se mantenha acelerado para estar alinhado ao desenvolvimento. Mais especificamente os CISOs, responsáveis pela segurança de uma empresa, precisam de uma solução que permita que as equipes do DevOps continuem a produção, aplicando práticas de segurança para reduzir riscos cibernéticos e configurações erradas. E a IaC fornece todo o mecanismo para fazê-lo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos