Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.993,55
    +2.697,37 (+2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.909,62
    +19,96 (+0,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,54
    -0,22 (-0,26%)
     
  • OURO

    1.808,30
    +12,00 (+0,67%)
     
  • BTC-USD

    62.911,22
    +2.515,98 (+4,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.504,20
    +1.261,52 (+519,83%)
     
  • S&P500

    4.566,43
    +21,53 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.735,53
    +58,51 (+0,16%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.503,00
    +162,00 (+1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4435
    -0,1373 (-2,09%)
     

Influenciador, David Luiz traça nova rota digital no Flamengo, sem deixar de lado marca global construída na Europa

·4 minuto de leitura

Antes mesmo de fechar com o Flamengo, David Luiz já promovia a imagem do clube em cenário internacional. No começo de junho, quando passava férias no Rio, o jogador postou no Instagram a música “Aquele abraço”, de Gilberto Gil, e deu um alô para a torcida mesmo ainda sem negociação. O acerto aconteceu mais de três meses depois, período no qual a interação com os rubro-negros nas redes sociais do zagueiro só aumentou.

Com mais de 20 milhões de seguidores na plataforma, David e seu estafe agora adotarão uma estratégia de nacionalização do conteúdo, o que promete alavancar sua imagem para os fãs brasileiros na mesma medida em que ajudará na internacionalização da marca Flamengo, promovendo o jogador a maior influencer do clube.

A ideia é fazer essa imersão na cultura do time carioca sem deixar de dar atenção à marca global já construída pelo atleta em 14 anos na Europa. Tanto que o vídeo comemorativo com agradecimento aos fãs foi feito em inglês e português. Dos 20 milhões de seguidores, apenas 20% estão no Brasil. A maior parte vive na Inglaterra, onde o zagueiro teve duas passagens no Chelsea e uma no Arsenal. Com raízes digitais no país, David Luiz continuará se referindo aos seguidores como “Geezers” — termo que utilizou quando jogava nos clubes ingleses.

— Ele é muito querido na Inglaterra, tem história, não dá para abandonar isso na hora de trabalhar o digital. Essa comunicação passa pelos Geezers, que é um termo que não vai abandonar. Vai chamar os fãs dele assim — explicou Victor Rios, CEO da Rioscom, que cuida da comunicação do atleta.

Apesar de o plano de comunicação ser feito por uma empresa especializada, as publicações passam todas por David Luiz, que é quem posta os conteúdos.

Produtos licenciados

O zagueiro teve um crescimento de mais de 700 mil seguidores no último mês, quando o acordo com o Flamengo era costurado. Com média de 160 mil curtidas por foto, tem uma taxa de engajamento semelhante às postagens do atacante Neymar. A avaliação é de Bernardo Pontes, sócio da ALOB Sports, especializada em conectar atletas e personalidades do esporte a marcas.

— Ele é uma marca global. Está entre as mil pessoas mais seguidas do mundo. Pelo lado do Flamengo, é o cara ideal para fortalecer e acelerar a estratégia de internacionalização — diz o especialista, que já passou pelo marketing do clube.

O Flamengo não quis comentar as estratégia de comunicação com David Luiz, mas elas já são discutidas. Uma das ideias é que o jogador tenha uma linha de produtos licenciada, semelhante a de Gabigol. Com mais seguidores que o próprio clube, o zagueiro tem um potencial de alavancar ainda mais as redes sociais do Flamengo, que já são um sucesso e representam boa parcela das receitas do marketing, mas carecem de conteúdo em outros idiomas. No Instagram, são 11,3 milhões de fãs, 8,2 milhões no Twitter, 12,2 milhões no Facebook e 6,3 milhões no Youtube. O clube quer concentrar produções com o jogador em seus canais.

Estratégia própria

Mas no canal pessoal, David também terá a estratégia própria. E ela é administrada por Matheus Diniz, que vive na França, e começou a trabalhar com o jogador há seis anos, quando ele jogava no PSG. O publicitário de 30 anos é quem faz as artes e vídeos nas redes sociais do zagueiro, mas as ideias são compartilhadas. No vídeo em que se escala para a estreia na Libertadores, a ideia era passar uma imagem de super-herói, por ser o defensor que o time precisava.

— O conteúdo sempre foi universal, de esporte, de treino. Quando estava sem contrato, ele mesmo publicava o tempo inteiro. Agora, a estratégia é pensar na cultura do Flamengo, principalmente a união dele com outros personagens. E obedecer os horários do Brasil para essa linkagem — explica Matheus, se referindo ao Instagram. A intenção é reativar o Twitter, que hoje conta com quase 9 milhões de seguidores.

No começo da pandemia, David Luiz fez até um canal no Youtube, em que treinava em casa no lockdown. O jogador transmitia o treino, convidava outros atletas e gerou muito engajamento com a produção de conteúdo. Na entrevista de apresentação, mostrou-se comunicativo.

— David tem característica interessante, ele sabe se comunicar. Se você der um texto ele vende , faz uma publicidade, ele é o atleta perfil das marcas. Tem uma fisionomia expressiva, por causa do cabelo, tem qualidade técnica, e tem o lado comunicativo, que todos se identificam — diz Pontes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos