Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.369,62
    +80,32 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Inflação deve melhorar a partir do ano que vem, diz presidente do BC

·2 min de leitura
 Roberto Campos Neto (REUTERS/Amanda Perobelli)
Roberto Campos Neto (REUTERS/Amanda Perobelli)
  • Topo inflacionário está próximo do fim, diz Roberto Campos Neto

  • Meta inflacionária de 2021 ainda é de 3,75%

  • Banco Central estima um PIB de 2,1% para 2022

Nesta sexta-feira, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse que o pico da inflação está chegando ao fim e deve melhorar a partir do ano que vem.

A afirmação foi dada em uma reunião virtual com empresas do mercado imobiliário, promovido pelo Sindicado da Habitação de São Paulo (Secovi - SP)

"Está perto, olhando 12 meses, de ver o topo (da inflação), e a gente entende que, a partir do ano que vem, vai ver uma melhora", disse Campos Neto.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) registrou 10,67% no agregado dos últimos 12 meses, terminando em outubro. Estima-se que a taxa suba para 10,73% considerando o mês de novembro.

Leia também:

Segundo Campos Neto, o Banco Central previa que o auge da inflação fosse em setembro. No entanto, a queda dos índices dos reservatórios e o aumento dos combustíveis impactaram a cadeia produtiva, aumentando os preços como um todo.

“Acabou tendo esse elemento de energia surpreendendo e se espalhando mais nas cadeias, principalmente quando a gente olha a parte industrial", disse.

Por enquanto o Banco Central mantém a meta inflacionária de 3,75% em 2021, com uma margem entre 2,25% e 5,25%.

Estimativa do PIB

O BC também deve abaixar sua projeção para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2022, segundo o presidente da instituição.

No entanto, não deverá ser uma queda tão grande quanto as estimativas que o mercado vem oferecendo nas últimas semanas, que chegava a 0,7%.

“Nós vamos divulgar nosso número no relatório de inflação em algumas semanas, provavelmente vai ser mais baixo do que esse (de 2,1%). Mas não tão baixo quanto a mediana (do mercado). Nós ainda entendemos que esse número da mediana parece muito baixo”, afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos