Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.254,60
    +168,99 (+0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Inflação deixa festa junina mais cara neste ano

Os pratos típicos do São João subiram mais do que a média da inflação (Getty Image)
Os pratos típicos do São João subiram mais do que a média da inflação (Getty Image)
  • Ingredientes para quitutes da Festa Junina ficaram mais caros

  • Ao menos 27 produtos registraram alta no último ano

  • Milho, leite e farinha foram os que subiram mais de preço

Chegou a hora de colocar a camisa xadrez, colocar a canjica no fogo e preparar o quentão. Depois de dois anos de restrições sanitárias, os brasileiros finalmente vão matar a saudade de curtir a temporada de Festas Juninas.

Mas não é só o "olha a cobra" da quadrilha que está assustando o pessoal. Os pratos típicos do São João subiram mais do que a média da inflação deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Os ingredientes das comidas e das bebidas aumentaram 13,12% nos últimos 12 meses, enquanto a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Getulio Vargas (FGV), ficou em 12.27% no mesmo período.

Um levantamento feito pelo economista da FGV Matheus Peçanha a pedido do jornal extra mostrou qausi alimentos devem pesar mais no orçamentos das famílias. O milho, estrela do cardápio, é um deles.

"O Brasil tem vivido choques climáticos sucessivos praticamente desde 2020. Nesse último choque, chuvas torrenciais nos meses de verão impactaram quase todas as culturas de hortifrutis", explicou o economista ao jornal.

O milho de pipoca ficou 20,95% mais caro. Já o leite longa vida subiu 18,03% e a farinha de trigo 16,78%. Madioca, fubá, ovos, batata-doce, queijo minas, leite condensado e linguiça foram outros produtos que registraram uma alta de mais de 10%.

Considerando 27 itens alimentícios da cesta do Índice de Preços ao Consumidor (IPC/FGV), pelo menos 12 itens subiram acima da inflação. Apenas o leite de coco e o arroz ficaram mais baratos durante o último ano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos