Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.464,47
    -57,87 (-0,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Inflação turca atinge máxima em 24 anos de 85,5% após cortes de juros

Loja em Istambul, Turquia

ISTAMBUL (Reuters) - A inflação anual turca subiu para uma nova máxima de 24 anos de 85,51% em outubro, mostraram dados oficiais nesta quinta-feira, um pouco abaixo da previsão, depois que o banco central cortou sua taxa básica de juros apesar da alta nos preços.

A inflação disparou desde o ano passado, quando a lira caiu depois que o banco central começou a cortar sua taxa básica de juros em um ciclo de afrouxamento buscado pelo presidente, Tayyip Erdogan.

Nos últimos três meses, o banco central reduziu sua taxa básica de juros em um total de 350 pontos-base, para 10,5%. Ele prometeu outro corte este mês como o movimento final no atual ciclo de afrouxamento, contrariando a tendência global de aperto da política monetária.

Na comparação mensal, os preços ao consumidor subiram 3,54%, disse o Instituto de Estatística da Turquia, abaixo da previsão de 3,60% em uma pesquisa da Reuters. A previsão para o dado anual era de 85,60%.

A inflação anual em outubro foi a mais alta desde junho de 1998, quando a Turquia trabalhava para acabar com uma década de inflação alta.

A queda de 44% da lira no ano passado e de 29% este ano foi a principal razão por trás do aumento da inflação, além do aumento dos preços de energia.

(Reportagem da redação de Gdansk e Nevzat Devranoglu)