Mercado fechará em 40 mins
  • BOVESPA

    107.329,22
    +1.082,07 (+1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.439,81
    +1.045,78 (+2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,23
    +2,64 (+2,41%)
     
  • OURO

    1.839,10
    +23,20 (+1,28%)
     
  • BTC-USD

    30.075,64
    +786,54 (+2,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    668,98
    +16,74 (+2,57%)
     
  • S&P500

    3.917,71
    -5,97 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    31.374,37
    -115,70 (-0,37%)
     
  • FTSE

    7.302,74
    -135,35 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    20.120,68
    -523,62 (-2,54%)
     
  • NIKKEI

    26.402,84
    -508,36 (-1,89%)
     
  • NASDAQ

    11.991,75
    +56,25 (+0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1905
    -0,0278 (-0,53%)
     

Inflação do tomate é de 26% em abril: veja ranking do IPCA-15

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.02.2019 - Still de mão segurando uma calculadora. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.02.2019 - Still de mão segurando uma calculadora. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Alimentos e combustíveis ficaram ainda mais caros para os brasileiros na passagem de março para abril, apontam dados do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15) divulgados nesta quarta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O indicador prévio de inflação teve alta de 1,73% em abril. É a mais intensa para o mês em 27 anos.

Entre os subitens que compõem o IPCA-15, o tomate registrou a maior disparada mensal: 26,17%. Melão (23,15%), cenoura (15,02%) e repolho (13,37%) vieram na sequência.

No início do ano, a produção de alimentos foi impactada pelo clima adverso no Brasil. Chuvas fortes no Nordeste e no Sudeste e uma estiagem no Sul castigaram plantações diversas. Assim, geraram reflexos sobre a oferta e os preços da comida.

A quinta maior inflação, segundo o IPCA-15 de abril, foi registrada pelo óleo diesel: 13,11%. A alta veio após a Petrobras anunciar, em março, um mega-aumento de combustíveis nas refinarias.

A decisão da estatal foi motivada à época pela disparada do petróleo no mercado internacional, sob efeito da guerra na Ucrânia.

Conforme o IPCA-15 de abril, leite longa vida (12,21%), óleo de soja (11,47%), batata-inglesa (9,86%), brócolis (9,65%) e passagens aéreas (9,43%) completam a lista dos dez subitens com maiores variações mensais.

Conforme a metodologia do IPCA-15, nem sempre os produtos e serviços com os avanços mais intensos representam as principais influências sobre o resultado.

Prova disso é que o índice de abril foi pressionado especialmente pela gasolina. O combustível subiu 7,51%, gerando impacto de 0,48 ponto percentual sobre o IPCA-15. A variação da gasolina foi a 16ª maior entre os subitens.

No acumulado de 12 meses até abril, a cenoura registra a maior disparada: 195%. Tomate (117,48%), abobrinha (86,83%) e café moído (65,09%) vêm em seguida.

NFLAÇÃO DO IPCA-15 EM ABRIL, EM %

Tomate - 26,17

Melão - 23,15

Cenoura - 15,02

Repolho - 13,37

Óleo diesel - 13,11

Leite longa vida - 12,21

Óleo de soja - 11,47

Batata-inglesa - 9,86

Brócolis - 9,65

Passagem aérea - 9,43

Couve-flor - 8,71

Gás de botijão - 8,09

Açaí - 7,88

Feijão carioca - 7,79

Pepino - 7,72

Gasolina - 7,51

Aluguel de veículo - 6,75

Morango - 6,71

Etanol - 6,6

Maçã - 6,1

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos