Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,11
    -0,06 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.867,90
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    13.498,56
    -44,36 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,04
    +22,36 (+9,21%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.244,75
    +112,00 (+1,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7450
    +0,0106 (+0,16%)
     

Inflação sobe 2,8% em setembro na Argentina

·1 minuto de leitura

Segundo o Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec), o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) acumula uma alta de 22,3% desde o início deste ano A inflação da Argentina acelerou ligeiramente em setembro e subiu 2,8% na comparação com o mês anterior, segundo informou o Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec), nesta quarta-feira (14) — em agosto, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou 2,7% em relação ao mês anterior. Ainda segundo as estatísticas oficiais, o IPC acumula uma alta de 22,3% desde o início deste ano. Nos últimos 12 meses, a inflação na Argentina chega a 36,6% — em agosto a variação interanual do índice marcou 40,7%. Os preços de roupas e calçados foram o que mais subiram em setembro entre os 12 setores acompanhados pelo Indec, com alta de 5,8% no mês. Bebidas alcóolicas e tabaco vêm na segunda posição, com 4,3%, e transportes vêm em terceiro, com um avanço de 3,6%. O custo com comunicações teve a menor inflação do período, de 0,1%, seguido pela educação, com avanço de 0,3%, de acordo com o relatório divulgado hoje pelo instituto.