Mercado fechará em 3 h 51 min
  • BOVESPA

    107.982,52
    +1.510,60 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.242,96
    +519,53 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,89
    +0,88 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.803,80
    +12,60 (+0,70%)
     
  • BTC-USD

    23.996,57
    +960,78 (+4,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    558,60
    +15,72 (+2,90%)
     
  • S&P500

    4.148,69
    +3,50 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    32.866,72
    +63,25 (+0,19%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.045,77
    -156,17 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    28.249,24
    +73,37 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    13.252,75
    +24,00 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2401
    -0,0265 (-0,50%)
     

Inflação na zona do euro tem recorde em novembro, provavelmente chegando a pico

·1 min de leitura
Carrinho com compras em supermercado de Berlim

FRANKFURT (Reuters) - A inflação da zona do euro disparou à maior taxa já registrada em novembro devido ao aumento dos custos de energia, provavelmente atingindo um pico antes de uma lenta desaceleração que vai mantê-la alta por grande parte do próximo ano, mostraram dados da Eurostat nesta terça-feira.

A alta dos preços ao consumidor nos 19 países que usam o euro acelerou a 4,9% em novembro sobre o ano anterior, de longe o nível mais alto nos 25 anos da série histórica, de 4,1% um mês antes e acima da expectativa de 4,5%.

Os preços da energia dispararam 27% em comparação com o mesmo período do ano anterior, refletindo a alta dos custos do petróleo, mas a inflação de serviços e produtos industriais não relacionados a energia, um peso nos últimos anos, ficou acima de 2%, sugerindo rápido aumento nas pressões de preços.

Embora a inflação esteja agora em mais do que o dobro da meta de taxa de 2% do Banco Central Europeu, isso não deve provocar qualquer ação de política monetária, mesmo que os dados possam desencadear pressão política sobre o BCE para que contenha o aumento dos preços.

Há tempos o BCE argumenta que o salto da inflação é temporário, causado por uma série de fatores pontuais, e que vai enfraquecer com o tempo. Portanto, uma ação de política monetária agora seria contraprodutiva, já que prejudicaria o crescimento econômico bem quando a inflação começa a diminuir por si só.

(Reportagem de Balazs Koranyi)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos