Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,59 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,65 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,44
    +0,68 (+0,61%)
     
  • OURO

    1.820,40
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    20.341,96
    -492,23 (-2,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    440,42
    -9,64 (-2,14%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,31 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,47 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    26.827,35
    -222,12 (-0,82%)
     
  • NASDAQ

    11.677,25
    +3,00 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5436
    -0,0005 (-0,01%)
     

Inflação global de alimentos tem alívio com queda de grãos

(Bloomberg) -- Uma queda nos preços de grãos e óleos vegetais traz algum alívio à inflação desenfreada de alimentos à medida que operadores do mercado de commodities avaliam dados de safras e a perspectiva de recessão em algumas das principais economias do mundo.

As colheitas de trigo começam em todo o hemisfério norte e os analistas continuam a aumentar suas estimativas de produção para alguns produtores-chave, como a Rússia, após clima favorável.

A perspectiva de recessão também pesa nos preços das commodities agrícolas, segundo a Agritel. O óleo de palma, amplamente usado na indústria de alimentos mundial, entrou recentemente em um mercado de baixa após a Indonésia aumentar as exportações.

Os declínios podem oferecer algum alívio para os consumidores globais que enfrentam custos de vida cada vez maiores e insegurança alimentar crescente. O índice de preços de alimentos das Nações Unidas caiu de um recorde em março, depois que a invasão da Rússia sufocou as exportações da Ucrânia, um dos principais exportadores de grãos e óleo vegetal.

“Há sinais de que a crise alimentar global pode estar chegando ao seu pico”, disse Chua Hak Bin, economista do Maybank Investment Banking Group. Ele acrescentou que a queda do óleo de palma reduzirá a pressão sobre os preços do óleo de cozinha.

Os futuros de milho, trigo e soja recuaram em Chicago com a retomada das negociações após um fim de semana de feriado nos EUA. O trigo também caiu em Paris. O óleo de palma negociado na Malásia registra queda de mais de 30% de seu pico no final de abril.

No entanto, preocupações com o clima e com as exportações ucranianas podem voltar a pressionar os preços mais para frente.

Uma agência da União Europeia reduziu suas perspectivas para os rendimentos de trigo do bloco para abaixo da média por conta de calor e seca. A seca também continuará sendo uma preocupação na maior parte do cinturão de milho e soja dos EUA no início de julho, de acordo com a Maxar.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos