Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.275,45
    -791,15 (-1,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Inflação fora da meta em 2022.

·2 min de leitura

Em 2021, as projeções mostram que o IPCA pode chegar aos 10,22%, já para 2022, as expectativas são de inflação em 4,96%.

Lembrando que a meta para inflação em 2022 é de 3,5% com uma banda de 1,5% para mais ou para menos.

Isso significa que as projeções para o IPCA em 2022, já vem contemplando um cenário de inflação acima da meta e inclusive da banda.

Juros ainda maiores para 2022?

Teoricamente, existe a possibilidade, porém, as expectativas e a inflação em si podem mudar bastante ainda em 2022, ou seja, não há certeza que a Selic vai chegar a 12%, por exemplo, ou até mesmo no patamar que já alcançou em 2015, 14,25%.

Mas é claro que o BC vai ficar atento à evolução do IPCA. No momento, a inflação só vem subindo, fato que preocupa.

A partir do momento em que a inflação comece a estabilizar e cair, aí é provável que a taxa de juro fique estável e posteriormente recue.

De qualquer forma, durante esse processo de alta dos juros, é bom ficar de olho na renda fixa. Há diversos ativos de renda fixa oferecendo rendimentos atraentes e que podem oferecer ganhos consideráveis a carteira do investidor.

Mais um dia de queda na bolsa

O dia não foi bom para o Ibovespa. O principal índice da bolsa brasileira registrou queda de 0,89%, enquanto o S&P 500 caiu 0,32%.

Durante o dia o S&P 500 até registrou valorização, mas no final do dia acabou entregando os ganhos e fechou com perdas.

Enquanto isso, o dólar fechou com queda de 0,40% diante do Real e o ouro (OZ1D) terminou o dia em queda de 2,59%, uma das maiores quedas nas últimas semanas.

O ouro vinha registrando boa performance, acumulando valorização desde junho de 2021 de 17% aproximadamente. Em um único dia, o ouro, negociado na B3 através do ticker OZ1D caiu 2,59%.

Mesmo com a queda do ouro e do dólar, os dois ativos ainda são interessantes para a composição da carteira.

Outro investimento que vem chamando atenção é o Bitcoin. A criptomoeda chegou a se valorizar e ultrapassar os 370 mil reais ainda em 2021, mas agora, vem acumulando perdas de mais de 16% nas últimas semanas.

Perdas maiores podem abrir uma boa oportunidade de investimento.  As criptomoedas são ativos muito voláteis, sendo assim, não é difícil ocorrer uma queda ainda maior.

De repente o Bitcoin pode cair até os 200 mil reais, ou até para níveis ainda menores. Essa desvalorização pode gerar uma ótima oportunidade de investimento.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos