Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.790,10
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    37.855,45
    +1.747,07 (+4,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Inflação da indústria cede em novembro, mas alta em 12 meses é de 28,86%

·2 min de leitura
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 21-02-2019: Cédulas de real. Papel Moeda. Dinheiro. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, Brasil, 21-02-2019: Cédulas de real. Papel Moeda. Dinheiro. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A inflação de mercadorias usadas na indústria teve variação de 1,31% em novembro de 2021, mostram dados do IPP (Índice de Preços ao Produtor). O resultado sinaliza uma desaceleração frente a outubro, quando a alta havia sido de 2,26%.

O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (5) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Apesar da perda de fôlego, o indicador ainda acumula alta de 28,86% em 12 meses. É a menor marca em 12 meses desde fevereiro de 2021 (28,50%), indicou o IBGE. Estava em 28,95% até outubro.

O IPP mede a variação dos preços de produtos na "porta de entrada das fábricas", sem efeito de impostos e fretes. Ou seja, capta os valores de mercadorias usadas nas linhas de produção.

A pesquisa avalia 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. Do total, 17 tiveram variações positivas nos preços em novembro.

As maiores influências para a alta do índice no mês vieram de refino de petróleo e produtos de álcool (impacto de 0,71 ponto percentual e avanço de 6,63%). Em seguida, aparecem outros produtos químicos (peso de 0,47 ponto percentual e elevação de 4,9%).

Segundo o gerente da pesquisa do IPP, Manuel Campos Souza Neto, os setores com maior impacto no IPP de novembro sentiram reflexos do comércio internacional.

Ao longo da pandemia, a indústria passou a sofrer com a escassez de parte dos insumos. A oferta reduzida fez os preços subirem. O dólar alto e a valorização de commodities também ajudaram a encarecer as mercadorias usadas pelas fábricas.

No acumulado de 2021, entre janeiro e novembro, o IPP registra avanço de 28,36%.

Mesmo com a reabertura da economia, o setor industrial dá sinais de perda de fôlego no Brasil. Afetada pela escassez de insumos e pelo aumento de custos, a produção industrial brasileira caiu 0,6% em outubro, na comparação com setembro, segundo o IBGE. Foi a quinta retração consecutiva do setor, o que não ocorria desde 2015.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos