Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.721,14
    +2.032,16 (+3,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Inflação do aluguel registra queda de 0,64% em setembro

·2 minuto de leitura
**ARQUIVO** SÃO PAULO, SP, 08.07.2021: Rua Augusta. Imóveis comerciais para alugar. (Foto Gabriel Cabral/Folhapress)
**ARQUIVO** SÃO PAULO, SP, 08.07.2021: Rua Augusta. Imóveis comerciais para alugar. (Foto Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A queda no preço do minério de ferro levou a uma retração no IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado) em setembro. É a primeira vez, desde fevereiro de 2020, que o IGP-M tem resultado negativo. Em agosto, o índice já havia desacelerado seu crescimento, com alta de 0,66%, ante 0,78% em julho.

A queda em setembro faz com que o acumulado do IGP-M nos últimos 12 meses, o valor adotado como referência para o reajuste dos contratos de locação, recue para 24,86%. Esse acumulado estava em 31,12% em agosto, após ter atingido um pico de 37,04% em maio deste ano.

Ainda assim, o valor é alto e pesa nos reajustes de contratos de locação, o que tem motivado a troca do índice pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), na hora de renovar os contratos. Em agosto, o IPCA apresentou acumulado de 8,99%. O valor referente a setembro ainda não foi divulgado.

O IGP-M é composto por três índices, IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), IPC (Índice de Preços ao Consumidor) e INCC (Índice Nacional de Custo da Construção). O IPA tem o maior peso no cálculo do índice, de 60%, e capta a variação nos preços de matérias-primas. É por isso que a queda no valor do minério de ferro tem impacto tão grande sobre o IGP-M.

O IPA foi o único indicador a apresentar queda no mês, de 1,21%, refletindo a retração no preço do minério de ferro.

"A queda de 21,74% registrada no preço desta commodity foi a principal contribuição para o resultado do índice. Sem o minério de ferro, o IGP-M teria registrado alta de 2,37% em agosto e de 1,21% em setembro", afirma André Braz, coordenador dos índices de preços no Ibre/FGV.

O IPC responde por 30% do índice do aluguel e teve alta de 1,19% em setembro, contra 0,75% em agosto. O principal aumento veio dos gastos com habitação, com destaque para o componente que pesa a tarifa de eletricidade residencial, que subiu de 3,26% em agosto para 5,75% em setembro.

Os 10% restantes para o cálculo do IGP-M ficam com o INCC, que calcula a variação de preços em materiais e equipamentos, serviços e mão de obra na construção civil. O índice apresentou alta de 0,56% em setembro, mesmo valor de agosto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos