Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.780,50
    +3,10 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    33.812,33
    +1.233,01 (+3,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    807,85
    +13,52 (+1,70%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.501,69
    +191,93 (+0,68%)
     
  • NIKKEI

    28.875,54
    -8,59 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.289,00
    +30,75 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9111
    -0,0087 (-0,15%)
     

Infectologista tira as principais dúvidas sobre a vacina da Pfizer/BioNTech

·3 minuto de leitura

No fim de abril, chegou ao Brasil o primeiro lote da vacina produzida pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech. O imunizante é o terceiro a ser administrado no país, depois da CoronaVac (da Sinovac) e da Covishield (de Oxford/AstraZeneca). Com isso, está mais do que na hora do brasileiro entender melhor do que se trata esse imunizante.

Anteriormente, o Canaltech conversou com o Dr. Bernardo Almeida, médico infectologista e diretor do laboratório de análises clínicas Hilab, para tirar dúvidas sobre a CoronaVac e a vacina de Oxford/AstraZeneca. Dessa vez, porém, o médico conversa conosco para esclarecer algumas informações a respeito do imunizante da Pfizer/BioNTech:

Canaltech: Do que é feita a vacina da Pfizer/BioNTech, exatamente? Como ela funciona?

Bernardo Almeida: A vacina é composta por uma tecnologia inovadora, baseada na inclusão de RNAm (RNA mensageiro), que codifica a sequência que gera a proteína S (spike). Essa proteína faz parte do vírus SARS-CoV-2 e é responsável por induzir nossa resposta imune. A tradução do RNAm é feita com o auxílio das nossas próprias células, o que amplifica a geração dessa proteína.

CT: Quais as contraindicações da vacina da Pfizer/BioNTech?

BA: Basicamente, história de reação alérgica grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina. Atenção deve ser dado ao polietilenoglicol e polissorbato, que são compostos comumente usados em outras medicações.

CT: Por que a vacina da Pfizer/BioNTech exige duas doses?

BA: A segunda dose amplifica a resposta imunológica e aumenta a eficácia. Portanto, após 14 dias da primeira dose já há uma resposta inicial, porém, somente depois de 14 dias da segunda dose é que se obtém a resposta máxima.

(Imagem: Samuel Regan-Asante/Unsplash)
(Imagem: Samuel Regan-Asante/Unsplash)

CT: Gestantes podem tomar a vacina da Pfizer/BioNTech?

BA: Podem. Já há trabalhos publicados que não identificaram riscos da vacina para essa população.

CT: Os componentes da vacina da Pfizer causam algum problema para quem é alérgico?

BA: Sim. Por isso é importante conferir os componentes antes. Somente as alergias graves contra-indicam a vacina. Felizmente, é algo raro.

CT: Quais são as recomendações para quem já possui uma doença pré existente?

BA: Manter cuidado máximo e ficar alerta ao calendário vacinal para as comorbidades e faixa etária. Mesmo após a vacinação, é orientado manter os cuidados gerais devido a vacina não conferir 100% de proteção e ainda termos circulação intensa do vírus no Brasil.

CT: A pessoa que tomou a vacina da Pfizer deve continuar usar máscara e evitando aglomeração?

BA: Mesmo após a vacinação, os cuidados deverão ser mantidos por alguns meses e talvez durante o ano de 2021. O tempo dependerá da velocidade da vacinação.

CT: A vacina da Pfizer impede a transmissão da COVID-19 ou a pessoa vacinada ainda pode transmitir?

BA: Há indícios de que a vacina reduz as chances de transmissão comparado a quem não usou a vacina, porém, ainda há o risco da transmissão ocorrer. Por isso a necessidade de manutenção dos cuidados mesmo após a vacina.

Para saber sobre eficácia não só da vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNTech, como também de outras vacinas, acesse nossa matéria especial, onde esclarecemos questões em torno do que é taxa de eficácia e como ela é calculada, por exemplo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos