Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.909,03
    -129,08 (-0,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.867,15
    +618,13 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,87
    -0,05 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.836,90
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    56.080,67
    -2.189,79 (-3,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.482,75
    -78,55 (-5,03%)
     
  • S&P500

    4.188,43
    -44,17 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    34.742,82
    -34,94 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.123,68
    -6,03 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    28.595,66
    -14,99 (-0,05%)
     
  • NIKKEI

    29.213,21
    -305,13 (-1,03%)
     
  • NASDAQ

    13.339,50
    -17,25 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3589
    +0,0187 (+0,29%)
     

Inep começa a avaliar virtualmente pedidos de cursos universitários

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil
·3 minuto de leitura

Especialistas selecionados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) realizaram, esta semana, as primeiras avaliações remotas de instituições de ensino superior.

Implementada com a justificativa de manter e melhorar o processo de avaliação dos cursos de graduação em todo o país, a nova modalidade de inspeção foi instituída por meio da Portaria nº 165, publicada no Diário Oficial da União da última terça-feira (20).

Segundo o diretor de Avaliação da Educação Superior do Inep, Luís Filipe de Miranda Grochocki, na segunda (26) e terça-feiras (27), comissões de especialistas avaliaram, por videoconferência, seis instituições de ensino privadas responsáveis por sete diferentes cursos de graduação. Por razões legais, a autarquia ainda não divulgou o nome das instituições, mas informou à Agência Brasil que duas delas ficam no estado de São Paulo e as demais na Bahia, no Espírito Santo, em Minas Gerais e no Paraná.

Segundo Grochocki, que acompanhou parte das avaliações, o uso de tecnologias da informação e comunicação ocorreu sem problemas. “A experiência foi excelente. Não houve dificuldades com o sistema; avaliadores e representantes das instituições ficaram à vontade e todas as inspeções foram concluídas dentro do prazo”, comentou o diretor, acrescentando que outros quatro processos para autorização de criação de novos cursos serão avaliados remotamente ainda esta semana.

A meta do Inep é realizar 5 mil inspeções remotas até o fim de outubro deste ano.

As avaliações on-line duram, no mínimo, dois dias. Cumprida esta etapa, os especialistas têm cinco dias para apresentar seus relatórios. Durante a visita virtual, os avaliadores analisam documentos, entrevistam representantes institucionais e docentes, além de avaliar as instalações físicas da instituição responsável pelo pedido de credenciamento e autorização de novos cursos, cujos processos estão sendo priorizados neste primeiro momento. Tudo por meio de videochamada.

“Não houve mudanças nos procedimentos de avaliação. Mantivemos o rigor do processo, cumprindo as normas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Tudo acontece ao vivo, e o local é verificado por meio de geolocalização”, comentou Grochocki, explicando que a possibilidade de estender o modelo de avaliação virtual para os processos de recredenciamento de cursos já em funcionamento ainda será avaliado com o Ministério da Educação e com a Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes).

Para o diretor, além de agilizar o processo de avaliação e otimizar o uso de recursos públicos, a análise remota pode dar mais transparência ao sistema. “Este procedimento permite que técnicos do Inep passem a acompanhar de perto [o trabalho dos especialistas selecionados], o que nem sempre tínhamos condições de fazer. Além disso, as visitas agora ficarão gravadas, permitindo, quando necessário, que tudo seja conferido”, disse Grochocki, minimizando a possibilidade de aspectos que seriam constatados presencialmente não serem percebidos na videochamada.

“Não vejo grandes riscos. Inclusive porque estamos pedindo documentação adicional, como a planta dos prédios. Pode acontecer de, às vezes, termos uma visão melhor do todo”, acrescentou o diretor, destacando que os especialistas que prestam serviço ao Inep estão sendo capacitados a utilizar a tecnologia.

Os avaliadores são profissionais de diferentes áreas de especialização, selecionados por meio de chamada pública. Atualmente, o instituto tem mais de 8 mil interessados no trabalho inscritos em sua base de dados. “Em meio à pandemia, a avaliação remota dá mais segurança também aos avaliadores”, concluiu Grochocki.

A fim de orientar avaliadores e representantes das instituições de ensino, o Inep elaborou o Guia de Boas Práticas de Avaliação Externa Virtual in Loco, que está disponível na internet do instituto. Mais detalhes sobre a avaliação remota podem ser consultados na página do instituto.