Indicador aponta otimismo no setor de serviços no Brasil

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) referente ao setor de serviços no Brasil, calculado pelo HSBC, subiu para 52,5 em novembro, acima do valor de 50,4 observado em outubro. Foi a terceira alta consecutiva. Leituras acima de 50,0 indicam expansão da atividade e leituras abaixo de 50,0 mostram contração.

Segundo o HSBC, que divulgou o dado nesta quarta-feira, em novembro, houve indicações de sentimento positivo no setor brasileiro de serviços. "As empresas esperam um crescimento, de um modo geral, da atividade no próximo ano, em sintonia com uma previsão de aumentos da demanda", informa, em relatório.

Segundo o economista do grupo HSBC no Brasil, Andre Loes, "o índice de emprego retornou ao nível mais elevado desde junho, indicando que as empresas do setor de serviços aceleraram o ritmo de contratações em resposta ao aumento da demanda e reflexo da forte confiança dos empresários". O economista acrescenta que o PMI de serviços é "mais uma evidência de que a recuperação esperada para o fim do ano está de fato se materializando".

Com isso, o Índice Consolidado de Produção HSBC - Brasil, sazonalmente ajustado, subiu a 53 em novembro, de 50,7 em outubro. "Com as empresas tanto do setor industrial quanto do de serviços registrando aumentos, o ritmo de expansão foi sólido e o mais rápido em oito meses", diz o HSBC. Na segunda-feira, o banco informou que o PMI industrial do Brasil subiu para 52,2 em novembro, de 50,2 em outubro, atingindo a maior alta desde fevereiro de 2011.

Carregando...