Mercado abrirá em 25 mins
  • BOVESPA

    117.560,83
    +363,01 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,85 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,84
    +1,39 (+1,57%)
     
  • OURO

    1.716,90
    -3,90 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    19.907,58
    -335,50 (-1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,48
    -10,64 (-2,30%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,93 (-1,15%)
     
  • FTSE

    7.019,26
    +21,99 (+0,31%)
     
  • HANG SENG

    17.740,05
    -272,10 (-1,51%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.534,50
    -7,25 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1033
    -0,0102 (-0,20%)
     

Indicador antecedente de emprego da FGV sobe a maior patamar em nove meses em agosto

Pessoas buscam emprego em listagem de vagas no centro de São Paulo

BRASÍLIA (Reuters) - O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) do FGV IBRE voltou a subir em agosto, após ligeira queda no mês anterior, e atingiu o maior patamar em nove meses, mostraram dados divulgados nesta terça-feira.

O IAEmp, que antecipa os rumos do mercado de trabalho no Brasil, subiu 1,2 ponto em agosto, para 82,3 pontos, maior nível desde novembro, quando chegou a 83,0 pontos.

Em médias móveis trimestrais, o IAEmp avançou 0,5 ponto, para 81,8 pontos.

Os dados, segundo o FGV IBRE, indicam continuidade da recuperação do mercado de trabalho.

"Ainda é preciso cautela pelo patamar baixo que o indicador se encontra, mas a sinalização para os próximos meses é positiva", disse em nota o economista da instituição Rodolpho Tobler, destacando que o ritmo de recuperação até o final do ano dependerá do desempenho da economia.

Os destaques de agosto foram os indicadores de Tendência dos Negócios e de Situação Atual dos Negócios da Indústria, que contribuíram positivamente com 0,9 e 0,3 ponto. Do lado negativo, a principal pressão veio do indicador de Emprego Previsto da Indústria, que variou -0,3 ponto.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontaram na semana passada que o Brasil registrou recorde no número de pessoas ocupadas, com a taxa de desemprego caindo no trimestre encerrado em julho para o menor patamar desde o final de 2015, para 9,1%.

(Por Isabel Versiani)