Mercado fechará em 3 h 43 min
  • BOVESPA

    110.561,88
    +1.160,48 (+1,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.653,69
    -145,77 (-0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,46
    -0,47 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.783,70
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    16.961,47
    -134,15 (-0,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    399,53
    -2,28 (-0,57%)
     
  • S&P500

    3.963,53
    -35,31 (-0,88%)
     
  • DOW JONES

    33.785,44
    -161,66 (-0,48%)
     
  • FTSE

    7.556,56
    -10,98 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    19.441,18
    -77,11 (-0,40%)
     
  • NIKKEI

    27.885,87
    +65,47 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    11.630,00
    -175,75 (-1,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4917
    -0,0417 (-0,75%)
     

Indústria pede lei com política eterna de proteção ambiental

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em evento da CNI (Confederação Nacional da Indústria) na COP27, o presidente da entidade, Robson Andrade, defendeu a aprovação de uma lei para blindar a indústria exportadora da ação de governos que não priorizem a defesa do meio ambiente.

"O país precisa de uma política de estado para a sustentabilidade. Precisa adotar plano consistente de descarbonização da economia", disse Andrade.

O discurso do presidente da entidade não foi retórico. Indústrias do setor de minérios e do agronegócio reclamam de perdas em vendas ao exterior devido a um embargo contra produtos "made in Brazil".

Elas dizem que, apesar de seguirem padrões internacionais de produção, estão sendo vistas com desconfiança pelos compradores estrangeiros devido aos danos de imagem causados pelo governo Jair Bolsonaro (PL), que estimulou o desmatamento ambiental e retirou o país das mesas de discussão sobre mudanças climáticas.

Por isso, a CNI pedirá ao presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, que leve adiante um projeto para que o engajamento do país em causas socioambientais seja perenizado por um marco legal próprio, que não possa ser modificado por um novo presidente.