Mercado abrirá em 7 h 24 min
  • BOVESPA

    117.560,83
    +362,83 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,88 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,22
    -0,23 (-0,26%)
     
  • OURO

    1.719,00
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    19.947,29
    -388,50 (-1,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    454,02
    -9,11 (-1,97%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,96 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    17.775,66
    -236,49 (-1,31%)
     
  • NIKKEI

    27.115,65
    -195,65 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.506,00
    -35,75 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0995
    -0,0140 (-0,27%)
     

Indústria da China desacelera em junho com problemas de oferta na Ásia

·2 min de leitura
Fábrica da Delong Steel em Xingtai, China

Por Stella Qiu e Ryan Woo

PEQUIM (Reuters) - O crescimento da atividade industrial da China caiu para uma mínima de quatro meses em junho devido aos custos mais altos das matérias-primas, uma escassez de semicondutores e um surto de Covid-19 na província exportadora de Guangdong, em meio a problemas na cadeia de oferta na Ásia.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial para a indústria da China caiu a 50,9 de 51,0 em maio, mostraram dados da Agência Nacional de Estatísticas nesta quarta-feira. O resultado, entretanto, superou a expectativa de analistas de recuo a 50,8.

O índice permaneceu acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

"Isso foi principalmente um resultado da Covid, que afetou a produção industrial e também novas encomendas de exportação devido ao aumento das ondas de infecções e restrições resultantes em algumas economias vizinhas", disse Iris Pang, economista-chefe do ING.

"No geral, não é um grande mês, mas não há realmente sinais preocupantes", completou.

O subíndice de produção caiu a 51,9, menor nível em quatro meses, de 52,7 no mês anterior. Zhao Qinghe, estatístico da agência nacional, atribuiu a desaceleração na produção a fatores como escassez de semicondutores, oferta inadequada de carvão, crise de energia e manutenção de equipamentos.

As novas encomendas de exportação caíram pelo segundo mês consecutivo em junho e a um ritmo mais rápido, provavelmente devido ao ressurgimento global de variantes de Covid-19, forçando alguns países a adotarem novamente lockdowns.

O subíndice de custos de matérias-primas no PMI oficial ficou em 61,2 em junho, contra 72,8 em maio, com o governo reprimindo preços altos.

O PMI oficial de serviços caiu a 53,5 de 55,2 em maio, mostrou pesquisa separada da agência de estatísticas, pressionado pelos surtos locais de Covid-19.

(Reportagem adicional de Colin Qian)