Mercado fechará em 4 h 55 min
  • BOVESPA

    109.051,26
    +1.037,79 (+0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.823,23
    -408,97 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,60
    -0,36 (-0,41%)
     
  • OURO

    1.845,50
    +2,30 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    42.392,96
    +190,07 (+0,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,52
    +13,77 (+1,38%)
     
  • S&P500

    4.532,76
    -44,35 (-0,97%)
     
  • DOW JONES

    35.028,65
    -339,82 (-0,96%)
     
  • FTSE

    7.573,31
    -16,35 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    15.198,00
    +164,50 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1411
    -0,0263 (-0,43%)
     

Incomodado com perseguição, Renato Gaúcho indica saída, e Flamengo avalia demissão

·2 min de leitura

Como esperado, após a derrota na final da Libertadores a situação de Renato Gaúcho no comando do Flamengo ganhou contornos de fim de casamento. O técnico incidou a saída, que já vinha amadurecendo desde as ameaças a sua filha, Carol Portaluppi, nas redes sociais.

Incomodado com a perseguição diante de pouco tempo para conseguir efetivamente trabalhar, voltou a deixar o cargo à disposição no Uruguai com o vice-campeonato para o Palmeiras. A diretoria do Flamengo, que já convivia com cobranças pela troca de comando, desta vez vai interromper o trabalho.

Os dirigentes chegaram de Montevidéu e o vice de futebol Marcos Braz colocou panos quentes, mas no vestiário do Centenário o clima entre funcionários era de que o técnico já tinha caído. E entre a diretoria a decisão sobre a não permanência já era um consenso que nem precisou ser verbalizado literalmente.

"Se hoje o Flamengo tivesse ganho, as pessoas teriam me perguntado se eu ia renovar o contrato para o ano que vem. Eu já to vacinado quando a isso no Brasil. Amanhã todo mundo vai criticar. No Brasil só é bom quem ganha", disse um abatido Renato na entrevista coletiva.

Apesar da boa relação com os jogadores, entre o elenco a descrença no futuro do trabalho de Renato Gaúcho bateu forte. A comissão técnica e a diretoria deram apoio até onde deu. Agora, as partes vão discutir se haverá comum acordo ou se Renato será demitido.

Tudo isso deve ser definido até esta segunda-feira. Renato não está confortável para comandar o time diante do Ceará no Maracanã em virtude dos últimos xingamentos da torcida nos jogos do Brasileiro que perdeu.

A permanência do técnico no Flamengo em 2022 não estava condicionada por nenhum tipo de acordo de renovação automática do contrato, válido até o fim de dezembro. Não há gatilho em caso de o presidente Rodolfo Landim ser reeleito. O martelo pela saída será batido a qualquer momento pelo mandatário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos