Mercado fechado

"Inception" galáctico: Objeto de Hoag intriga astrônomos há 70 anos

Felipe Junqueira

Quem observar a constelação da Serpente com um telescópio verá uma galáxia com cerca de 100 mil anos-luz de extensão (algo um pouco maior do que a Via Láctea), localizada a 600 milhões de anos-luz daqui, mas, na verdade, este objeto é bastante curioso e raro no universo, não sendo exatamente uma única galáxia. Trata-se do Objeto de Hoag, que parece ser uma galáxia dentro de outra e foi descoberto em 1950 pelo astrônomo Art Hoag, mas foi apenas na década de 1970 que se confirmou tratar-se de uma espécie de dupla constelação. E se você olhar atentamente, vai perceber um terceiro objeto entre o anel e o círculo central. É isso mesmo: uma terceira galáxia.

Essa espécie de galáxia dentro de uma galáxia dentro de uma galáxia, na verdade, são dois objetos celestiais diferentes. A menor está bem mais distante da Terra, e apenas parece estar dentro do anel. Mas o Objeto de Hoag é, de fato, uma galáxia dentro de outra — e o fenômeno intriga bastante os astrônomos, até os dias atuais.

O objeto de Hoag: galáxia em anel com outra, que aprece uma única estrela gigantesca laranja; uma terceira galáxia parece estar dentro do anel, mas fica bem distante (Foto: NASA)

Colisão galáctica

Inicialmente, Hoag acreditou ter sido enganado por uma ilusão de óptica em seu telescópio, causada por um efeito de lente gravitacional. Mas novas observações do objeto confirmaram tratar-se de algo peculiar, que acontece com apenas 0,1% das galáxias conhecidas pela humanidade até hoje.

A teoria aceita atualmente é que seria o resultado de uma colisão de duas galáxias. No choque, uma delas acabou se abrindo como um anel, enquanto a outra se condensou, formando o efeito que parece uma única bola brilhante localizada no centro.

Por enquanto, só o que os astrônomos conseguiram confirmar é que, se o objeto é realmente o resultado desse choque galáctico, ele aconteceu há pelo menos 3 bilhões de anos. É que, se tivesse menos tempo que isso, resquícios da colisão teriam sido captados por radiotelescópios. Já foram feitas essas observações, e o resultado foi negativo.

A resposta final segue um mistério. Mas existe a possibilidade ainda de ser uma colisão entre galáxias vizinhas, inicialmente com formato de disco, como a Via Láctea. Mas, independente de o que tenha acontecido para gerar esse "inception" espacial, o fato é que esta é uma imagem bonita e interessante de se observar no céu noturno.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: