Mercado abrirá em 7 h 15 min

Inauguração de loja da Havan gera aglomeração em Belém

TIMÓTEO LOPES
·2 minutos de leitura

BELÉM, DF (FOLHAPRESS) - Uma multidão se formou neste sábado (10) na porta da loja da Havan para a abertura da primeira unidade da rede varejista em Belém. A inauguração ocorre na véspera do Círio de Nazaré, principal festa religiosa na cidade, que neste ano teve cancelada a promissão da imagem pelas ruas para evitar aglomeração por causa da pandemia do coronavírus. O espaço, de cerca de 7 mil m², aberto ao público hoje, foi inaugurado pelo próprio dono da rede, o empresário Luciano Hang. Ele dançou carimbó, típica do Pará, com centenas de funcionários, a maioria sem o uso de máscaras. "Como o diria o paraense, que festa 'pai d'égua'. Escolhemos essa cidade para fazer a inauguração da loja 150 da Havan porque temos mais de mil paraenses trabalhando na nossa rede. Nós vimos o amor que vocês têm pelo estado de vocês, mas tem que ir para longe arrumar um emprego. Estou muito feliz de estar aqui em Belém proporcionando essa alegria pra vocês. O melhor programa social é a geração de empregos", disse o empresário, que anunciou mais de 3.000 novos postos de trabalho até o final do ano. Na abertura, as imagens que viralizaram na internet mostraram lotação na rampa de acesso. A Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) confirmou, ontem (9), mais 447 casos de Covid-19 e 9 mortes. Até agora, são 237.925 casos da doença e 6.645 óbitos no estado. A Prefeitura de Belém declarou que a inauguração da loja foi um "evento privado" e que a responsabilidade de "contenção e distanciamento das pessoas" cabe à empresa. O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, informou que o responsável pelo estabelecimento comercial será intimado a prestar esclarecimentos e autuado por crime contra a saúde pública. A assessoria de imprensa da Havan não comentou o caso.