Mercado fechado

Inadimplentes podem pagar dívida com Pix no Feirão Serasa Limpa Nome

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os brasileiros inadimplentes podem renegociar suas dívidas com até 99% de desconto no Feirão Serasa Limpa Nome. A negociações podem ser feitas online, no site serasalimpanome.com.br ou aplicativo da Serasa, ou pessoalmente, em três capitais: São Paulo (SP), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS).

As negociações presenciais começaram nesta terça-feira (8) e vão até sábado (12), das 8h às 20h. Há cinco guichês em cada tenda de negociação. Em São Paulo, a tenda está localizada no vale do Anhangabaú e atende não apenas moradores da capital, mas pessoas de outros estados também podem participar

Neste ano, a dívida pode ser paga com Pix. Além disso, há a possibilidade de retirada do nome do devedor do cadastro de inadimplentes em até 24 horas após a negociação. Ao todo, 267 empresas participam da ação. O percentual de desconto depende de cada uma delas.

Quem optar por negociar a dívida pela internet terá mais tempo. O feirão online começou no dia 1º de novembro e vai até 5 de dezembro, com as mesma regras do presencial. A intenção é aproveitar o período em que os trabalhadores recebem o 13º salário para que tenham a oportunidade dar início ao processo de retomada do crédito.

Segundo dados da Serasa, o número de inadimplentes voltou a crescer pelo 9º mês seguido e alcança atualmente 68,39 milhões de pessoas. O valor médio da dívida chega a R$ 4.324,42. A maior parcela de dívidas está no segmento de bancos e cartões, que concentra 29,45%.

Em São Paulo, a situação da inadimplência também é grave. Mais de 16 milhões de pessoas estão inadimplentes no estado de São Paulo, sendo 4,5 milhões apenas na capital paulista.

Aline Maciel, gerente da Serasa, considera as oportunidades oferecidas neste ano como grandes atrativos, especialmente a possibilidade de retirada do nome do cadastro de inadimplentes em até 24 horas. Antes, segundo ela, os consumidores que esperavam até cinco dias úteis para limparem o nome após o pagamento. "Além disso, sabemos como o Pix foi bem recebido pela população", diz.

"As inúmeras novidades a favor da população, o número recorde de parceiros e de ofertas, e a proximidade do 13º salário vão ajudar os brasileiros a quitar dívidas e começar o novo ano com nome limpo e crédito no mercado", afirma Aline.

Nas duas últimas edições do Feirão Serasa Limpa Nome -em novembro do ano passado e, de forma emergencial, em março deste ano-, foram concedidos mais de R$ 15,7 bilhões em descontos, segundo balanço da Serasa, beneficiando mais 7,3 milhões de brasileiros endividados.

*

VEJA TRÊS DICAS PARA SAIR DA INADIMPLÊNCIA

1. FAÇA AS CONTAS PARA ENTENDER SUAS DÍVIDAS

- Faça uma lista de todas as contas e parcelas atrasadas, com os respectivos valores. Coloque no topo da lista aquelas que você precisa quitar primeiro, porque são essenciais, como contas de água e luz, por exemplo, ou porque custam mais, como cartão de crédito e cheque especial

- Depois, é preciso saber quanto terá disponível em cada mês para pagar os atrasados, considerando as demais despesas que você já possui

2. NEGOCIE COM OS CREDORES

- Procure as empresas para as quais deve e tente negociar. Não aceite a primeira proposta, mas entenda como está sendo a negociação: Qual o percentual de desconto sobre o total da dívida? Se pagar à vista, há desconto maior? Se parcelar, quantos são os juros?

- Defina um objetivo, o valor que poderá dispor e faça contrapostas

- Se ainda ficarem dúvidas, peça que a proposta de negociação seja feita por escrito. Vá para casa, converse com a família e volte depois para bater o martelo e assinar o contrato de renegociação

3. ORGANIZE-SE PARA NÃO CONTINUAR DEVENDO

- Ao fechar o acordo, saiba que é preciso cumpri-lo até o final, portanto, negocie apenas valores que pode pagar com a renda que já tem

- Para garantir que não tenha mais dívidas negativadas em seu nome, aposte no planejamento financeiro, equilibre seus ganhos e gastos mensais.

- Faça uma planilha e envolva toda a família nesse controle e no esforço para economizar