Inadimplência das famílias recua para 7,6% em janeiro

Embora os consumidores tenham ficado menos confiantes em janeiro, a situação financeira atual das famílias melhorou em relação a dezembro, segundo a Sondagem do Consumidor, divulgada nesta quinta-feira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O avanço foi de 1,9% no período, após ter registrado queda de 3,7% na leitura anterior.

"Nesse mês, a situação financeira das famílias melhorou. Ao que parece, as famílias estão menos endividadas e menos inadimplentes", disse Viviane Seda, coordenadora técnica de Análises Econômicas do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV).

A sondagem levantou em janeiro o nível de inadimplência das famílias. O porcentual de consumidores que revelou estar inadimplente em mais de 30 dias diminuiu de 9,00% em outubro de 2012 para 7,60% em janeiro de 2013.

"O consumidor está mostrando agora que começou a se recuperar financeiramente, mas ainda não está num ponto de voltar a consumir como antes", alertou Viviane, lembrando, que, em janeiro, as expectativas de compras para bens duráveis tiveram redução de 2,8% em relação a dezembro.

Na pesquisa, a faixa de renda mais baixa, que recebe até R$ 2.100, tem o maior porcentual de inadimplência. "Mas isso tem diminuído também", notou a economista. A inadimplência na faixa de renda 1, que ganha até R$ 2.100, saiu de 18,7% em outubro de 2012 para 15,3% em janeiro de 2013.

Já a fatia de inadimplentes na faixa mais alta, que recebe mais do que R$ 9.600,01, aumentou de 2,3% para 3,5% no mesmo período. "Mas a inadimplência nessa faixa de renda está no mesmo patamar de junho de 2012, quando era de 3,6%. Então a gente não sabe se é um patamar aceitável para esse nível de renda", ponderou Viviane.

Carregando...