Mercado abrirá em 3 h 56 min
  • BOVESPA

    109.101,99
    +1.088,52 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.508,35
    -314,88 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,61 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.838,90
    -3,70 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    39.110,40
    -2.957,52 (-7,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,36
    -70,90 (-7,12%)
     
  • S&P500

    4.482,73
    -50,03 (-1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,39
    -313,26 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.907,11
    -45,24 (-0,18%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.762,50
    -78,50 (-0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1058
    -0,0243 (-0,40%)
     

Imprensa aponta equívoco de resposta do governo à crise social e sanitária nas Antilhas Francesas

·1 min de leitura

Dois assuntos dominam as manchetes da imprensa nesta segunda-feira (29): a crise social e sanitária nas Antilhas Francesas e a viabilidade da candidatura do editorialista de extrema direita Eric Zemmour à presidência, em 2022.

Os jornais Le Figaro e Libération dedicam seus editoriais aos distúrbios nas ilhas de Guadalupe e da Martinica. O ministro dos territórios ultramarinos franceses, Sébastien Lecornu, chegou ontem ao Caribe para negociar uma saída de crise, mas a proposta que ele levou na bagagem, de dar maior autonomia administrativa às ilhas, não convence a imprensa.

O Le Figaro nota que os distúrbios na Guadalupe começaram com os protestos dos profissionais da saúde contra a obrigatoriedade de vacinação para evitar a Covid-19, mas depois "derivaram para um conjunto difuso de reivindicações que ninguém mais consegue compreender".

Uma onda de violência tomou conta da ilha há algumas semanas, com saques ao comércio e bloqueio de estradas. Policiais e jornalistas foram alvejados por manifestantes armados. A realidade, na avaliação do Le Figaro, é que a Guadalupe e a Martinica "vivem de ajuda do Estado". A economia não se desenvolveu e praticamente não existe produção local para dar emprego aos jovens. Ante esse problema crônico, os políticos locais pedem para serem tratados em pé de igualdade em relação a outras regiões francesas, "mas não param de solicitar favores ao governo", o que é para o Le Figaro uma incoerência.


Leia mais

Leia também:
"A crise ainda não ficou para trás", alerta Macron sobre Guadalupe e Martinica
Medidas para conter Covid-19 provocam crise social no território francês da Guadalupe
Pré-candidato da extrema direita à presidência da França faz gesto obsceno a pedestre

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos