Mercado fechará em 1 h 15 min
  • BOVESPA

    108.382,65
    +1.714,99 (+1,61%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.750,95
    -481,25 (-0,90%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,25
    +1,82 (+2,13%)
     
  • OURO

    1.843,00
    +30,60 (+1,69%)
     
  • BTC-USD

    42.075,65
    +469,40 (+1,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    998,70
    +3,95 (+0,40%)
     
  • S&P500

    4.587,34
    +10,23 (+0,22%)
     
  • DOW JONES

    35.375,12
    +6,65 (+0,02%)
     
  • FTSE

    7.589,66
    +26,11 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.284,50
    +78,50 (+0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2013
    -0,1058 (-1,68%)
     

Importante satélite de monitoramento terrestre sofre anomalias no espaço

·2 min de leitura

Um dos satélites do programa Copernicus de monitoramento da Terra, operado pela União Europeia, está sem transmitir dados desde uma anomalia registrada em 23 de dezembro do ano passado — e parece que o problema é mais sério do que aparentava. O satélite em questão é o Sentinel-1B e segue sob investigações.

O Sentinel-1B mapeia a superfície da Terra em um ciclo que dura 12 dias ou 175 órbitas de polo a polo (Imagem: Reprodução/ESA)
O Sentinel-1B mapeia a superfície da Terra em um ciclo que dura 12 dias ou 175 órbitas de polo a polo (Imagem: Reprodução/ESA)

Desde que a anomalia no sistema do Sentinel-1B foi detectada, a equipe responsável pelo programa tem trabalho cuidadosamente para incluir alterações em sua configuração e, assim, evitar que o mesmo problema se repita.

Mas, enquanto executava comandos de recuperação, a equipe percebeu que a anomalia era apenas o resultado de um problema ainda mais grave envolvendo o sistema de energia do satélite. Por isso, novas investigações serão realizadas nos próximos dias para entender a verdadeira causa.

Em nota, a equipe do Copernicus informou que “as operações realizadas nos últimos dias não permitiram reativar até o momento uma função de alimentação necessária para as operações do radar”.

Sobre a constelação Copernicus

Lançado em abril de 2016, o Sentinel-1B trabalha na órbita da Terra ao lado de seu irmão gêmeo, o Sentinel-1A, lançado dois anos antes. Em um trabalho sincronizado, os dois mapeiam continuamente e em alta resolução a superfície da Terra.

Todos os satélite do programa Copernicus monitoram a superfície terrestre através de radares altamente precisos (Imagem: Reprodução/ESA)
Todos os satélite do programa Copernicus monitoram a superfície terrestre através de radares altamente precisos (Imagem: Reprodução/ESA)

Cada um deles foi projetado para operar durante sete anos com uma capacidade de combustível suficiente para orbitar a Terra por 12 anos. E eles não são os únicos a monitorar a superfície terrestre, pois a constelação consiste em:

  • Dois Sentinel-2;

  • Dois Sentinel-3;

  • Um Sentinel-5;

  • Um Sentinel-6A.

O programa ainda planeja enviar mais satélites de monitoramento ao espaço nos próximos anos. Os dados adquiridos pelo Copernicus são compartilhados com uma variedade de usuários, incluindo agências de monitoramento climáticos e desastres ambientais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos