Mercado abrirá em 1 h 1 min
  • BOVESPA

    108.013,47
    +1.345,81 (+1,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.823,23
    -408,97 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,57
    -0,39 (-0,45%)
     
  • OURO

    1.837,40
    -5,80 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    42.099,57
    +655,20 (+1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    998,89
    +4,14 (+0,42%)
     
  • S&P500

    4.532,76
    -44,35 (-0,97%)
     
  • DOW JONES

    35.028,65
    -339,82 (-0,96%)
     
  • FTSE

    7.579,53
    -10,13 (-0,13%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    15.136,25
    +102,75 (+0,68%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2107
    +0,0433 (+0,70%)
     

Importadoras de combustíveis alertam para desabastecimento

·2 min de leitura
  • Paralisações e lentidão no porto de Santos são o principal motivo do risco

  • Petrobras não é capaz de produzir em quantidade suficiente para suprir a demanda do país

  • Auditores da Receita pedem por reajuste salarial e regulamentação do bônus da carreira

Em uma carta enviada ao Ministério da Economia, a Associação Brasileira dos Importadores De Combustíveis (Abicom), alertou sobre o risco de desabastecimento de combustíveis no país.

O motivo seria a operação-padrão realizada pelos auditores fiscais da Receita Federal. Também conhecida como operação-tartaruga, o procedimento tem como objetivo atrasar a liberação das cargas.

Segundo a Abicom, o atraso no processamento das importações já é maior que 10 dias.

A operação vem sendo realizada em diversos pontos das fronteiras do país, mas o principal tem sido o porto de Santos. Para os importantes, há o risco de acabar o espaço de armazenamento, fazendo com que futuros navios não tenham onde depositar a carga.

Leia também:

A associação também alerta para o encarecimento dos produtos devido a lentidão do porto. Para cada dia que um navio excede o tempo permitido para realizar suas operações de carga e descarga, ele é multado em US$ 22 mil (R$ 125.479).

“Os atrasos nas liberações dos produtos importados reduzirão a disponibilidade e oferta de combustíveis para atendimento dos pedidos das distribuidoras, potencializando o desabastecimento, durante o mês de janeiro de 2022”, alertou a carta dos importadores, obtida pelo GLOBO.

Petrobras não supre a demanda nacional

A organização lembra que a Petrobras não é capaz de atender a totalidade da demanda nacional, e portanto, a importação é necessária para suprir o país.

“A Abicom alerta que, mantida a operação padrão ora estabelecida pelos auditores da Receita Federal, poderá ocorrer a elevação dos preços dos combustíveis oferecidos aos consumidores, com risco de desabastecimentos pontuais, ainda em janeiro de 2022”, finaliza o texto.

Com informações do GLOBO

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos