Mercado abrirá em 6 hs
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,42
    +1,85 (+1,69%)
     
  • OURO

    1.829,00
    +4,20 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    20.868,70
    -390,28 (-1,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    454,55
    -7,24 (-1,57%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    22.417,03
    +187,51 (+0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.107,75
    +67,25 (+0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5345
    -0,0096 (-0,17%)
     

Importações de petróleo russo pela China atingem recorde em maio

Refinaria de petróleo no condado de Ju, China

Por Chen Aizhu

CINGAPURA (Reuters) - As importações chinesas de petróleo bruto da Rússia subiram 55% em maio na comparação anual, atingindo nível recorde e tirando a Arábia Saudita da posição de principal fornecedor da China, uma vez que as refinarias lucraram com óleo com descontos em meio às sanções a Moscou por sua invasão da Ucrânia.

As importações de petróleo russo totalizaram quase 8,42 milhões de toneladas, incluindo suprimentos bombeados pelo oleoduto do Oceano Pacífico da Sibéria Oriental e embarques marítimos dos portos russos da Europa e do Extremo Oriente, mostraram dados da Administração Geral de Alfândegas da China.

O volume equivale a aproximadamente 1,98 milhão de barris por dia (bpd), e ficou um quarto acima dos 1,59 milhão de bpd verificados em abril.

Os dados mostram que a Rússia recuperou o topo do ranking de fornecedores para o maior importador de petróleo do mundo após um intervalo de 19 meses, e indicam que Moscou é capaz de encontrar compradores para seu petróleo apesar das sanções ocidentais, embora tenha tido que reduzir os preços.

E mesmo que a demanda geral de petróleo bruto da China tenha sido atenuada pelas restrições da Covid-19 e uma economia em desaceleração, os principais importadores, incluindo a gigante de refino Sinopec e a comerciante Zhenhua Oil, intensificaram a compra de petróleo russo mais barato, além de suprimentos do Irã e da Venezuela, que permitiram reduzir compras de concorrentes da África Ocidental e do Brasil.

A Arábia Saudita foi o segundo maior fornecedor, com os volumes de maio subindo 9% no ano, para 7,82 milhões de toneladas, ou 1,84 milhão de bpd. Isso ficou abaixo dos 2,17 milhões de bpd de abril.

Dados alfandegários divulgados nesta segunda-feira também mostraram que a China importou 260.000 toneladas de petróleo bruto do Irã no mês passado.

As importações do Brasil caíram 19% em relação ao ano anterior, para 2,2 milhões de toneladas, uma vez que os fornecimentos brasileiros enfrentaram concorrência com carga mais barata do Irã e da Rússia.

As importações totais de petróleo bruto pela China aumentaram quase 12% em maio, ante uma base de comparação baixa do ano anterior, atingindo 10,8 milhões de bpd, contra a média de 10,3 milhões de bpd em 2021.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos