Mercado abrirá em 9 h 22 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +0,46 (+0,71%)
     
  • OURO

    1.686,70
    +8,70 (+0,52%)
     
  • BTC-USD

    53.964,62
    +3.085,77 (+6,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.091,06
    +66,85 (+6,53%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.963,85
    +423,02 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    28.800,81
    +57,56 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    12.447,25
    +150,00 (+1,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9693
    +0,0095 (+0,14%)
     

Importações de milho e trigo pela China têm nível recorde em 2020

·1 minuto de leitura
Estoques de milho, utilizado na produção de ração para animais, em fazenda em vila de Changtu, na China

PEQUIM (Reuters) - As importações de grãos pela China saltaram para níveis recorde em 2020, mostraram dados da alfândega na segunda-feira, após um aperto na oferta doméstica de milho ter levado os preços a máximas em anos, gerando demanda por importações mais baratas.

A China, maior mercado agrícola do mundo, adquiriu um recorde de 11,3 milhões de toneladas de milho importado no ano passado, incluindo 2,25 milhões de toneladas apenas em dezembro, segundo a Administração Geral de Alfândegas.

As importações de milho em 2020 foram mais que o dobro do volume do ano anterior e excederam pela primeira vez sua cota anual, que havia sido fixada em 7,2 milhões de toneladas.

A China também importou um recorde de 8,38 milhões de toneladas de trigo, contra uma cota de 9,64 milhões de toneladas.

Em 2019, a China usou apenas 67% de sua cota anual para milho e um terço da cota para trigo.

A China acelerou a compra de grãos globais no ano passado devido à forte demanda do setor de suínos e à redução na oferta doméstica de milho.

As importações devem seguir altas neste ano por motivos similares, segundo analistas.

Os futuros do milho na China subiram 40% nos últimos dois meses e atingiram máximas recordes na semana passada.

(Por Hallie Gu and Tom Daly)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519)) REUTERS LC