Mercado abrirá em 7 h 19 min
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,29
    -0,66 (-0,89%)
     
  • OURO

    1.814,40
    -2,80 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    39.785,57
    -2.161,50 (-5,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    963,25
    +13,35 (+1,40%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    26.257,72
    +296,69 (+1,14%)
     
  • NIKKEI

    27.789,66
    +506,07 (+1,85%)
     
  • NASDAQ

    15.039,50
    +83,75 (+0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1579
    -0,0301 (-0,49%)
     

Importação da vacina da Janssen para o Brasil é adiada

·2 minuto de leitura

Para acelerar a vacinação contra o coronavírus SARS-CoV-2 no Brasil, o Ministério da Saúde aguardava o recebimento das primeiras 3 milhões de doses da vacina da Janssen — braço farmacêutico da Johnson & Johnson — para a terça-feira (15). No entanto, a importação foi adiada e ainda não há um prazo para o novo recebimento dos imunizantes contra a COVID-19.

"A pasta aguarda confirmação da data por parte do laboratório, mas a expectativa é de que as doses cheguem ainda esta semana ao país em três remessas", afirmou o Ministério da Saúde, em nota. Dessa forma, é possível que o carregamento inicial de vacinas contra a COVID-19 chegue ainda nesta semana, já que se trata de uma suspensão temporária de importação da vacina de dose única.

Farmacêutica Janssen adia envio de 3 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 para o Brasil (Imagem: Reprodução/Ali Raza/Pixabay)
Farmacêutica Janssen adia envio de 3 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 para o Brasil (Imagem: Reprodução/Ali Raza/Pixabay)

Questão da validade das doses da vacina da Janssen

Vale lembrar que o lote de doses da vacina da Janssen era um adiantamento que a Saúde conseguiu. Isso porque o contrato oficial de compra dos imunizantes contra a COVID-19 previa o recebimento de 38 milhões de doses, mas somente entre os meses de julho e dezembro deste ano. Além disso, o produto seria enviado próximo ao prazo de vencimento, previsto para o dia 27 de junho.

Nos Estados Unidos, a farmacêutica da Johnson & Johnson conseguiu prorrogar este prazo de validade. Após análise da agência federal norte-americana Food and Drug Administration (FDA), o lote que seria enviado para o Brasil segue válido, agora, até o dia 8 de agosto.

No Brasil, a empresa fez um pedido semelhante para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), já que o prazo de validade do produto autorizado é de três meses. Nesse caso, a Janssen solicitou uma prorrogação da validade para o total de 4,5 meses. No entanto, a Anvisa ainda não deu seu parecer. Para garantir a distribuição das doses, a Saúde chegou a anunciar que apenas capitais brasileiras as receberiam, o que facilitaria o esquema de distribuição.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos