Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    17.137,85
    +17.137,85 (+0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Importação chinesa de soja em outubro dispara com aumento de cargas do Brasil e EUA

·1 minuto de leitura
Lavoura de soja
Lavoura de soja

PEQUIM (Reuters) - As importações de soja pela China aumentaram 41% em outubro em relação ao ano anterior, de acordo com dados da Administração Geral de Alfândegas divulgados neste sábado, à medida que as cargas desalfandegadas do Brasil e as chegadas do produto dos EUA aumentaram.

O maior importador de soja do mundo trouxe 8,69 milhões de toneladas da oleaginosa em outubro, ante 6,18 milhões de toneladas no mesmo mês do ano anterior, já que os processadores reservaram os grãos brasileiros anteriormente com boas margens de esmagamento e mais grãos dos EUA começaram a entrar.

Os números caíram ante as 9,8 milhões de toneladas de setembro, uma vez que os embarques do Brasil começaram a diminuir com a oferta sendo reduzida no país da América do Sul. [nL4N2H40WH]

"As importações de soja dos EUA aumentaram em outubro", disse Xie Huilan, analista da consultoria agrícola Cofeed, antes da divulgação dos dados.

"A maioria restante ainda é de soja brasileira, que (processadores) compraram muito barato antes", disse Xie.

"Espera-se que o ritmo de compra diminua um pouco nos próximos meses, uma vez que os processadores já encomendaram muitos grãos brasileiros antes, e os grãos dos EUA também aumentarão", disse um operador no norte da China.

"Em fevereiro e março, voltaremos a mudar para o grão brasileiro", disse o esmagador, que não quis ser identificado por não ter autorização para falar com a mídia.

Em fevereiro, o Brasil (maior produtor e exportador global) já contará com a oferta da safra nova, cuja colheita começa em janeiro.

(Por Hallie Gu e Kevin Yao)