Mercado abrirá em 7 h 11 min
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,79
    +1,39 (+1,24%)
     
  • OURO

    1.808,20
    -10,70 (-0,59%)
     
  • BTC-USD

    29.967,63
    -410,22 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    673,48
    +430,80 (+177,52%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.518,35
    +53,55 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    20.574,13
    -28,39 (-0,14%)
     
  • NIKKEI

    26.845,78
    +186,03 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    12.507,00
    -53,25 (-0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2051
    -0,0053 (-0,10%)
     

Entenda os impactos na alta dos juros no Brasil e nos EUA

Alimentos e combustíveis podem ficar ainda mais caros com alta dos juros (Getty Image)
Alimentos e combustíveis podem ficar ainda mais caros com alta dos juros (Getty Image)
  • A elevação da Selic e do aumento do Federal Reserve deve impactar em diversos setores

  • Empresas podem pausar projetos e adiar contratações de novos colaboradores

  • Comida e gasolina podem ficar mais caras com o aumento do dólar

A última quarta-feira foi movimentada no mercado financeiro. O Banco Central elevou a taxa básica de juros, a Selic, de 11,75% para 12,75% ao ano e o Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos, elevou o 0,50 ponto percentual as taxas de juros, para o intervalo entre 0,75% e 1%. Esse é o maior aumento desde 2000.

As decisões, que têm como objetivo combater a inflação, traz consequências diretas para os brasileiros. A mudança dos EUA, por exemplo, podem atrapalhar ainda mais o crescimento da economia brasileira, sendo que as projeções de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano estão abaixo de 1%.

Empresas devem adiar projetos e contratações

A fuga de capitais pode atrapalhar a Bolsa e as empresas. Com menos investidores, cai a valorização das ações no mercado brasileiro, adiando projetos. De acordo com o jornal O Globo, analistas avaliam que este pode ser o primeiro ano em duas décadas sem nenhuma estreia na Bolsa.

Além disso, com a mudança na Selic, os juros ficam mais altos e dificultam o crédito para empresas investirem em expansões ou novas fábricas. Com o desestímulo ao consumo, as empresas também adiam projetos e contratações, impactando nos números de desemprego.

Consumidores gastarão menos e terão mais dificuldade em quitar dívidas

A Selic mais alta faz com que as pessoas gastem menos, principalmente pela dificuldade em conseguir crédito e parcelamentos. No caso de pessoas que já têm dívidas, fica ainda mais difícil quitar os débitos. No momento, mais de mais de 70% dos brasileiros têm alguma dívida, de acordo com a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência.

Alimentos e combustíveis podem ficar mais caros com alta do dólar

Outro fator que deve influenciar no bolso dos consumidores é as movimentações do dólar. A moeda pode ficar mais cara, pressionando a inflação. Os preços de alimentos e combustíveis que estão atrelado à cotação de mercado pode aumentar com essa oscilação.

Investidores de renda fixa podem se beneficiar com a Selic

As poucas pessoas beneficiadas por essa movimentação são as que aplicam em renda fixa. Com a Selic fixada em 12,75%, as aplicações como o Tesouro Selic sofrem uma valorização, assim como os fundos multimercados, que permitem que o gestor aplique em diferentes classes de ativos, como renda fixa e variável.

Estimativas da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) dizem que as aplicações nesses fundos, em alguns casos, chegam a ter desempenho melhor que a poupança até com taxa de 3% ao ano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos